Menino estuprado por adolescentes recebe alta e vai fazer tratamento psicológico

O menino de 10 anos, vítima de estupro, já recebeu alta do Hospital Regional Álvaro Fontoura, em Coxim. Ele deixou a unidade neste sábado (03). Conforme o secretário de Saúde, Rogério Souto, que também responde pelo hospital, fisicamente a criança está bem.

Foto: PC de Souza
Foto: PC de Souza

Entretanto, ele será submetido a tratamento psicológico, o mesmo deve acontecer com familiares para que todos saibam lidar com a situação e possam se recuperar do trauma. De acordo com Rogério, o caso foi encaminhado ao CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), para que todas as providências sejam tomadas.

“O município vai dar todo o suporte à família, que já foi orientada a procurar a Policlínica para dar início ao tratamento psicológico. Estamos acompanhando esse caso de perto para que possamos ajudar a minimizar a dor dessa família e, principalmente, da vítima”, garantiu Rogério Souto.

O menino foi estuprado por dois adolescentes, de 15 e 16 anos, na tarde de quinta-feira (1º), numa residência do bairro Santa Maria, em Coxim. Os acusados embebedaram a criança e depois abusaram sexualmente. Um deles contou detalhes à polícia depois de ser apreendido.

Eles decidiram dar um banho na vítima, que estava alcoolizada, foi quando o adolescente de 16 anos começou o estupro, que continuou na cama. Além de confessar o crime, o adolescente de 16 anos apontou um colega, de 15 anos, como parceiro no crime.

Os dois adolescentes aguardam por vagas em UNEI (Unidade Educacional de Internação). A internação foi determinada na audiência de custódia, realizada nasexta-feira (02), no Fórum de Coxim.

Por enquanto, ambos seguem na delegacia da cidade, onde podem ficar por cinco dias. Depois, os dois vão para internação, que inicialmente deve ser de 45 dias até que a Polícia Civil conclua o inquérito e eles sejam julgados pela Justiça. Caso sejam condenados, os adolescentes podem ficar até três anos internados. Eles estão respondendo por ato infracional equiparado a estupro de vulnerável, segundo a delegada titular de Coxim, Silvia Elaine Girardi Menck. (Com Informações Edição de Notícias)

Comentários