Média de público do Brasileirão dispara e já é a melhor desde 1983

Agências/JP

Flamengo lidera também na média de público, com mais de 50.000 por jogo no Maracanã (Celso Pupo/Fotoarena/Folhapress)

Os números ainda estão longe da média dos campeonatos mundo afora, mas há um fato a ser exaltado: os estádios brasileiros andam mais cheios. Depois de três anos consecutivos de aumento de público, o Brasileirão de 2019 alcançou uma marca significativa ao fim do 1º turno: média de 21.524 pagantes, a maior desde 1983, ano do recorde de bilheteria do país.

Se o ritmo seguir até o fim do torneio, também será a primeira vez desde 1987 que o Brasileirão terá média superior a 20.000 pagantes por partida. A taxa de ocupação também se destaca: 48%, com quase metade dos assentos ocupados. No ano passado, a média foi de 18.821 pagantes por jogo.

Após uma década de 1990 marcada por médias muito baixas, por volta dos 10.000 pagantes, o formato de pontos corridos passou a levar mais torcida em seus primeiros anos de implementação. A partir de 2010, as marcas oscilaram, mas a década chega ao fim com um aumento exponencial, partindo de 14.839 até os números de 2019.

Até hoje, a edição de 1983, vencida pelo Flamengo, detém o recorde de média de público: 22.953. A mais baixa foi a de 2004, com pouco mais de 7.000 de média. As edições entre 1959 e 1968 não possuem dados disponíveis.

Flamengo líder, Chape lanterna

O líder Flamengo também aparece, com folga, no topo da lista de maiores médias: 50.693 presentes por jogo, segundo levantamento do Globo Esporte, com 79% de ocupação do Maracanã e renda total bruta de mais de 18 milhões de reais, a segunda maior do torneio, atrás apenas do Corinthians.

Na sequência, aparecem um trio paulista (Corinthians, São Paulo e Palmeiras). O retorno do futebol nordestino à elite, com Fortaleza, Bahia e Ceará, também ajudou a elevar os números. A pior média de público é da Chapecoense, que leva pouco mais e 6.000 pagantes por jogo à Arena Condá.

Média de público do 1º turno do Brasileirão 2019

1 – Flamengo: 50.693

2 – Corinthians: 36.621

3 – São Paulo: 36.335

4 – Palmeiras: 32.544

5 – Fortaleza: 30.696

6 – Bahia: 27.706

7 – Ceará: 26.806

8 – Internacional: 21.182

9 –  Vasco: 20.604

10 – Fluminense: 20.017

11 – Cruzeiro: 17.899

12 –  Grêmio: 15.619

13 – Atlético-MG: 13.724

14 – Botafogo: 13.590

15 – Athletico-PR: 13.198

16 – Goiás: 12.097

17 – CSA: 11.756

18 – Santos: 11.523

19 – Avaí: 10.906

20 – Chapecoense: 6.319

Comentários