McGregor cumpre promessa e derruba José Aldo

Conor McGregor falou, falou e falou mais um pouco. E cumpriu: o irlandês fez jus à fama de “vidente” ao destronar José Aldo e, agora de fato, se consagrar como “rei” dos pesos-penas do UFC. O “Notório” encerrou o reinado do brasileiro como prometeu, ainda no primeiro round do evento principal do UFC 194, neste sábado, em Las Vegas. E só precisou de 13 segundos para tal, um recorde em lutas valendo cinturão no Ultimate.

Para sua luta mais aguardada do ano, o UFC preparou uma festança. Apagou as luzes, desenrolou telas brancas para exibir os melhores momentos de McGregor e projetar as cores da bandeira irlandesa. Quando o “Notório” surgiu no telão, com um sorriso maníaco, seus compatriotas começaram sua típica cantoria.

As mesmas telas exibiram imagens de José Aldo fazendo sinal pedindo silêncio, e derrotando seus desafiantes no UFC. A bandeira brasileira coloriu a tela e, quando o manauara surgiu no túnel, recebeu uma sonora vaia, logo substituída pelos cantos de “Olê, olê, olê, olê”. Os dois não tocaram luvas, armando o cenário para a épica batalha.

Foto: UFC
Foto: UFC

Quando John McCarthy autorizou o início, os dois se encontraram no centro. McGregor só precisou de dois golpes. Um direto de esquerda passou longe. O cruzado de esquerda, quando Aldo armava o seu próprio cruzado, pegou no botão. O brasileiro caiu duro no chão, e o irlandês ainda deu um toque na cabeça para garantir a vitória. McCarthy rapidamente interveio, e, num piscar de olhos, estava encerrado o reinado de José Aldo.

– Ninguém aguenta aquele golpe de esquerda. Ele (Aldo) é poderoso e rápido, mas precisão bate poder, e timing bate velocidade. Eu sinto pelo José, ele foi um grande campeão, ele merecia durar mais tempo, mas precisão bate o poder, e timing bate a velocidade. É só isso que é preciso. Ninguém aguenta essa mão esquerda – disse McGregor após receber o cinturão.

Desolado, José Aldo sentou no córner e chorou. Chamado para dar sua entrevista pós-luta, ergueu a cabeça, reconheceu a derrota e pediu nova oportunidade contra o rival.

– Ele jogou um direto no meu peito, eu esperava isso, e quando eu fui atacá-lo, ele acertou um bom direto, foi isso. Acho que depois dessa luta, a gente tem que partir para uma revanche – pediu José Aldo, com um corte no nariz. Ele voltou a negar que as incessantes provocações de McGregor por toda a preparação impactaram a luta e prometeu voltar mais forte.

– Não afetou em nada, ele pode ter falado o que for, eu nunca caio em provocação nenhuma. Ele foi feliz hoje, acertou um bom golpe. Temos que partir para uma revanche, na qual vou estar muito melhor preparado para retomar o que é meu.

CARD PRINCIPAL

Conor McGregor venceu José Aldo por nocaute aos 13s do R1
Luke Rockhold venceu Chris Weidman por nocaute técnico aos 3m12s do R4
Yoel Romero venceu Ronaldo Jacaré por decisão dividida (29-27, 29-28, 29-28).
Demian Maia venceu Gunnar Nelson por decisão unânime (30-26, 30-25, 30-25).
Max Holloway venceu Jeremy Stephens por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28).
CARD PRELIMINAR
Urijah Faber venceu Frankie Saenz por decisão unânime (29-28, 29-28, 30-27)
Tecia Torres venceu Jocelyn Jones-Lybarger por decisão unânime (triplo 30-27)
Warlley Alves venceu Colby Covington com uma guilhotina aos 1m26s do R1.
Léo Santos venceu Kevin Lee por nocaute técnico aos 3m26s do R1.
Magomed Mustafaev venceu Joe Proctor por nocaute técnico aos 1m54s do R2.
Yancy Medeiros venceu John Makdessi por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28).
Court McGee venceu Márcio Lyoto por decisão unânime (30-27, 29-28, 29-28)

Globo Esporte

Comentários

comentários