Mato Grosso do Sul será autossuficiente no tratamento de radioterapia

Estado ganha reforço no tratamento contra o câncer com dois novos aceleradores lineares em hospitais

Mato Grosso do Sul ganha reforço no tratamento contra o câncer com dois novos aceleradores lineares no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian e no Hospital do Câncer Alfredo Abraão. Com os novos equipamentos, o Estado será autossuficiente no tratamento de radioterapia.

Novo acelerador linear vai possibilitar atender maior número de pacientes no Hospital de Câncer (Foto: Reprodução)

O governador Reinaldo Azambuja destacou que a aquisição dos novos equipamentos para radioterapia é resultado do trabalho conjunto entre Governo do Estado, Ministério da Saúde e SUS (Sistema Único de Saúde). “Essa é uma luta de todos nós. Poderemos avançar no tratamento contra o câncer, principalmente na radioterapia, e com isso reduzir a fila de espera”, afirmou.

O Governo do Estado assinou na quarta-feira (4) ordem de serviço da obra de construção do bunker e área de atendimento do setor de radioterapia no HRMS, com investimento de R$ 10,5 milhões. A previsão é concluir em julho de 2019. No Hospital Regional, além da radioterapia (acelerador linear), haverá a construção da sala onde será feita a braquiterapia, um tipo de radioterapia interna, que usa a radiação em contato com o local da doença. A obra faz parte do projeto de reestruturação do HRMS.

O diretor-presidente do HRMS, Justiniano Vavas, destacou que o novo acelerador linear será mais um incremento no tratamento contra o câncer, umas das referências do hospital. “Nossos pacientes, além da quimioterapia, terão à disposição o acelerador linear para radioterapia. Com esse incremento, vão melhorar os resultados do tratamento”, disse. O HRMS atende atualmente 650 pacientes no tratamento contra a doença.

O secretário de Estado de Saúde, Carlos Coimbra, explicou que no período de um ano o Estado recebeu seis aceleradores lineares, tornando Mato Grosso do Sul autossuficiente nas demandas de radioterapia. “Esperamos, de uma vez por todas, atender a população que tanto precisa deste importante tratamento. Vamos zerar a demanda por radioterapia”, disse.

 

Comentários