Mato Grosso do Sul poderá receber novo assentamento em 2016

Quatro anos após o último assentamento que foi criado no Estado, Mato Grosso do Sul pode receber ainda em 2016 um novo assentamento para abrigar uma parte das famílias sem-terra que esperam por um lote da reforma agrária. A informação é do superintendente do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), Humberto de Mello Pereira.

Manifestantes sem-terra ocuparam sede do Incra durante quatro dias. Foto: Paulo Francis
Manifestantes sem-terra ocuparam sede do Incra durante quatro dias. Foto: Paulo Francis

De acordo com Humberto, a demanda por assentamentos no Mato Grosso do Sul está reprimida desde 2012, mas o Incra continua fazendo vistorias em áreas para atender a demanda dos movimentos sociais. Atualmente, cerca de 20 mil estão na fila de espera por um lote.

Ainda segundo o superintendente, caso todas as áreas que já foram vistoriadas fossem levadas à decreto, várias aproximadamente 1.600 famílias já teriam sido contempladas. “A expectativa é de que a partir Plano Nacional de Reforma Agrária de assentar 120 mil famílias até 2018, nós possamos beneficiar parte da demanda que existe no Estado”, disse.

Ocupação

Na última segunda-feira (01), mais de 120 famílias de várias cidades do Estado ocuparam a sede do Incra na Capital. Eles pediam que a reforma agrária fosse realizada de uma forma mais rápida, já que os estados vizinhos como Mato Grosso e São Paulo, tiveram a reforma nos últimos 60 dias.

Os manifestantes deixaram o prédio na manhã de ontem (04).

Comentários

comentários