Marun lamenta manutenção do veto ao aumento do Judiciário

20marunO deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) lamentou a manutenção do veto da presidente Dilma que impediu o aumento para os servidores do Poder Judiciário. “Faltaram apenas seis votos, o que mostra que a proposta era legítima e teve apoio de grande parte dos deputados”, assinalou Marun.

Marun ressaltou que a categoria está há nove anos sem aumento e acrescentou que o aumento seria escalonado entre 2015 e 2017. Defendi o aumento porque entendo que os servidores não podem pagar o preço pela incompetência do governo. “Uma coisa é a crise causada pela má gestão e outra é o salário dos servidores”, defendeu Marun, para quem o veto deveria ser derrubado. Para o deputado sul-mato-grossense, o aumento para os servidores do Judiciário é uma questão de justiça.

Marun foi convencido pela mobilização organizada e pacífica dos servidores que defenderam com clareza e objetividade a proposta de aumento. “Fiz o compromisso com eles e cumpri”, concluiu.

Foram 251 votos pela derrubada do veto, 6 a menos do que o necessário na Câmara dos Deputados. O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 28/2015 foi vetado integralmente pelo Executivo, sob o argumento de que a medida geraria impacto financeiro contrário aos esforços necessários para o equilíbrio fiscal. Pelo projeto, aprovado no Senado no final de junho, o aumento para os servidores ficaria entre 53% e 78,5%. A estimativa do governo é que o reajuste custaria aos cofres públicos cerca de R$ 36 bilhões até 2019.

Comentários

comentários