Marte atinge ponto mais próximo da Terra em 15 anos nesta terça-feira

Desde 2003, planeta vermelho não ficava tão próximo à superfície terrestre. A olho nu, contudo, não será muito diferente do que foi visto no eclipse lunar de sexta-feira (27), explica astrônomo

Desde o eclipse lunar na sexta-feira (27), Marte tem sido um fenômeno à parte, com sua proximidade em relação à Terra. Nesta terça-feira (31), a atração continua — com o planeta atingindo o ponto mais próximo da Terra em 15 anos. Desde 2003, explicam astrônomos e entidades, Marte não chegava tão próximo aos “terráqueos”.

Marte em imagem feita pelo telescópio espacial Hubble em 18 de julho de 2018 (Foto: NASA, ESA, and STScI)

A Nasa, agência espacial americana, informa que Marte estará a 57,6 milhões de quilômetros da Terra, e ficará visível por toda a noite a olho nu. Em 2003, a distância foi ainda menor, com os dois planetas contabilizando 56 milhões de quilômetros de distância entre eles.

Na prática, Marte vai parecer uma estrela brilhante vermelha, como foi na noite do eclipse lunar quando estava ao lado da Lua, explica o astrônomo Gustavo Rojas, da Universidade Federal de São Carlos.

Apesar de estar num ponto mais próximo, não vai dar para notar muita diferença de Marte em relação ao eclipse lunar de sexta-feira (27), explica Rojas.

“Vai dar pra ver normalmente, como tem sido nas últimas semanas, basta olhar para o céu”, diz o astrônomo Gustavo Rojas, da Universidade Federal de São Carlos. “Quem viu o eclipse na sexta-feira, e observou Marte ao lado da Lua, não vai mudar muito visivelmente”, diz.

Rojas explica que Marte muda sua posição em relação à Terra porque sua órbita é a mais elíptica de todos os planetas. “Sua distância do Sol varia mais. Isso causa essa diferença de distância da Terra”, explica o astrônomo.

Já em meados de agosto, segundo a Nasa, Marte ficará mais “fraco” na medida em que Marte e Terra se afastarem um do outro em suas órbitas ao redor do Sol.

A agência americana estima que a próxima aproximação de Marte da Terra seja em 6 de outubro de 2020.

Comentários