Marquinhos Trad assume hoje PSD visando candidatura a prefeitura

O deputado estadual Marcos Trad, após meses da novela de troca de partido, faz neste sábado (12) seu ato de filiação no PSD, que o esperava a algum tempo, depois de diversos anúncios extras oficiais de entrada na agremiação. O parlamentar anunciou há meses o descontentamento e possível saída do PMDB, que somente foi ratificada na semana passada. A espera solenidade pretende reunir lideranças municipais e regionais do partido, na Câmara Municipal de Campo Grande, para a entrada do ex-pemedebista no partido que já o terá como candidato a prefeito da Capital.

O presidente municipal do PSD, Robison Gatti, que é ligado à família Trad, tendo sido um dos braços direito do então prefeito da Capital Nelsinho Trad, aponta que hoje, a previsão é de que Marquinhos, como é mais conhecido, se filie ao partido e já se lance pré-candidato a prefeito.

Contudo, o rumo a candidatura a prefeitura, apesar de ser uma pretensão antiga do novo psdebista, que o fez mudar do PMDB, pois não encontrou espaço para se viabilizar candidato, esbarra ou continua sendo uma incógnita, diante da pretensão do irmão – Nelsinho – em voltar ao Paço Municipal. O ex-prefeito também já se lançou ao pleito, agora pelo PTB, o qual entrou no ano passado para ser presidente regional, também abandonando as hoste peemedebista.

Marquinhos anunciou sua saída do PMDB há duas semanas, mas não havia confirmado qual seria o real rumo partidário, embora estivesse mais próximo e com diversas tratativas com o PSD. O parlamentar, que ficou no PMDB por 13 anos, aguardava apenas a homologação e vigência da janela partidária, que dá 30 dias para político com mandato no legislativo mudar de partido sem o risco de perda de mandato.

Caso de família

Ontem, o parlamentar também participou do evento do irmão, o ex-prefeito Nelson Trad Filho (PTB), que também realizou festa de filiação ao mundo trabalhista e mostrou força no ressurgimento dos trabalhistas em MS, conforme o Página Brazil noticiou.

Os dois irmãos são “anunciados” pré-candidatos, mas afirmam que a questão não vai gerar conflito na família. “Nelsinho não será problema para Marquinhos e o mesmo é considerado por meu irmão. Temos acima de tudo a convicção e concepção de família m primeiro lugar e que não será a política ou esta concorrência que nos colocará em conflitos”, disse ontem Nelsinho em discurso no evento do PTB, e que vem sendo propalado por ambos em fala públicas.

O que agora já é denominado até “casos de família”, pode ser resolvido com o nome que estiver na ‘boca do povo’. Os dois afirmaram possível apoio mútuo e descartaram disputa na família sobre candidaturas. “Quem tiver melhor nas pesquisas, até julho, será o nome para a eleição deste ano”, aponta Marquinhos.

Lúcio Borges

Comentários

comentários