Marquinhos, Reinaldo e vereadores firmam parceria

Com minoria na Câmara de Vereadores, o prefeito eleito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD) busca apoio do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para poder governar tranquilo a partir de janeiro do ano que vem, quando substituirá o prefeito Alcides Bernal (PP).

Marquinhos busca apoio de Reinaldo (Foto: Divulgação )
Marquinhos busca apoio de Reinaldo (Foto: Divulgação )

A coligação de Marquinhos elegeu apenas seis vereadores, enquanto a do PSDB, liderado pelo governador, fez 15 nas eleições de outubro. Sem esse apoio fica difícil administrar Campo Grande.

Apesar do encontro político, os dois grupos políticos alegam que a conversa de ontem ocorreu apenas visando a cooperação entre o estado e a prefeitura a partir de 2017.

“Política é a arte de conversar, de dialogar e o objetivo de todos nós é fazer o melhor para Campo Grande. Nós temos de fazer com excelência, sem egocentrismo, sem individualismo, sem ninguém querer aparecer mais do que ninguém”, disse Marquinhos.

O governador disse que reunião foi para elencar e definir prioridades do legislativo e executivo e buscar soluções para os problemas enfrentados pela Capital.

“Discutimos uma parceria do Legislativo, governo e prefeitura para ações positivas para ajudar Campo Grande em todos os segmentos: geração de emprego, saúde, habitação, infraestrutura. Não dá para fazer tudo, mas dá para fazer muito quando a gente tem boa vontade e o que foi mostrado aqui hoje foi boa vontade, tanto do Governo quanto do prefeito eleito”, disse o governador.

Também participaram a vice-governadora, Rose Modesto, e integrantes do PSDB. Rose disputou o segundo turno com Marquinhos. Os dois gestores saíram do encontro afirmando que vão trabalhar de forma conjunta.

“Acabou de firmar um pacto por Campo Grande. Onde nós não estaremos em oposição, estaremos em posição”, afirmou o presidente da Câmara Municipal, vereador João Rocha (PSDB).

SECRETARIADO

Sobre o secretariados, Marquinhos não adiantou nomes, mas informou que serão escolhidos os que tiverem competência e “conhecimento de causa”. No encontro de hoje, não foi debatido cargos na administração.

Comentários

comentários