Marina Silva diz que não será vice de Geraldo Alckmin ‘de jeito nenhum’

VEJA/JP

A pré-candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva (Evaristo Sá/AFP)

A pré-candidata da Rede Sustentabilidade à Presidência da República, Marina Silva, afirmou nesta quinta-feira, 7, que “de jeito nenhum” será candidata a vice-presidente na chapa de Geraldo Alckmin, do PSDB, na eleição de outubro. Nos últimos dias, tucanos como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o próprio Alckmin fizeram acenos a Marina e a elogiaram publicamente. Para a ex-ministra, no entanto, partidos como PT e PSDB “precisam de férias”.

“De jeito nenhum, de jeito nenhum. Nós somos um partido político que se coloca respeitando o legado do PT, do que há de bom, e do PSDB, mas somos uma alternativa. PT, PMDB e PSDB precisam de férias”, declarou Marina Silva, durante entrevista à Rádio Jovem Pan.

Mais bem colocada que Alckmin nas pesquisas de intenção de voto à Presidência, Marina também descartou ter o tucano como candidato a vice em sua coligação. A líder da Rede quer um companheiro de chapa que lhe seja “complementar”.

“[Busco] um vice que seja complementar. Em 2010 eu e Guilherme [Leal] tínhamos um protagonismo complementar e é isso que estou buscando. Sobretudo que tenha identidade programática, não vai prevalecer o pragmático por sobre o programático”, disse.

Em entrevista ao jornal O Globo, publicada nesta quinta-feira, FHC afirma que “não convém fechar portas” a Marina Silva “a essa altura do campeonato”. “Sem dúvidas, hoje o Alckmin tem mais potencial. Veremos… Mas não dá para fechar as portas ao entendimento contra o radicalismo, e hoje o mais forte é o de direita”, declarou.

Embora tenha dito na última terça-feira, 5, que não cometeria a “indelicadeza” de cortejar a pré-candidata da Rede, Geraldo Alckmin elogiou o “espírito público” de Marina e declarou que “gosta” dela.

“Tenho grande respeito pela Marina desde a época que ela foi ministra do governo federal. É uma pessoa correta, idealista, tem espírito público. Independente de disputar ou não, uma pessoa pela qual tenho até apreço pessoal, gosto do estilo da Marina (…) é uma pessoa lúcida, amadurecida, tem convicções, mas não tem radicalismos. Eu gosto da Marina, da forma como ela fala”, afirmou o tucano, em São Paulo.

Comentários

comentários