Márcio Fernandes aguarda janela para ser opção do PMDB na sucessão municipal

De malas prontas rumo ao PMDB, o deputado estadual Márcio Fernandes (atualmente PT do B) só aguarda a promulgação da chamada janela partidária pela Mesa Diretora do Senado, o que deve ser feito somente em fevereiro pelo presidente Renan Calheiros (PMDB-AL), para assinar a ficha de filiação.

Deputado Márcio Fernandes (terno preto à esquerda) em conversa com o presidente regional do PMDB, deputado Junior Mochi. (Foto: ALMS)
Deputado Márcio Fernandes (terno preto à esquerda) em conversa com o presidente regional do PMDB, deputado Junior Mochi. (Foto: ALMS)

O parlamentar poderá vir a disputar as prévias do PMDB para tentar se consolidar como o candidato do partido à sucessão do prefeito Alcides Bernal (PP).

Embora acredite que a sua entrada na disputa pela vaga do PMDB dependa de muitas articulações no núcleo da sigla, Fernandes se considera um candidato preparado e de perfil diferenciado dos demais peemedebistas que almejam o mesmo propósito dele.

Em seu terceiro mandato na Assembleia Legislativa, ele se considera experiente, de perfil popular e uma alternativa de característica inovadora para o PMDB. Também avalia que contam, a seu favor, os fatos de ter “ficha limpa” na seara política e possuir bom trânsito junto a caciques peemedebistas e aliados destes.

Fernandes lembra que entra no PMDB cacifado pelo presidente estadual da legenda, deputado Junior Mochi, e com o apoio do ex-governador André Puccinelli, que considera seu padrinho político.

Mas, se por um lado, Fernandes poderá vir a ser uma boa opção de candidatura para o PMDB, por outro, seu nome junto a algumas lideranças peemedebistas encontraria resistência. Isso porque, nos dois mandatos de Puccinelli no governo, o deputado pautou sua atuação na Assembleia, ora por posições de total imparcialidade, ora por lampejos de comportamento que mais se aproximavam da oposição no legislativo.

Comentários

comentários