Marçal Filho descarta novo “blocão” e vê PSDB com candidatura própria em Dourados

Pronto para voltar ao PSDB após 16 anos, o radialista e ex-deputado federal Marçal Filho assumirá o diretório municipal do partido em Dourados nos próximos dias e descartou a possibilidade da nova ‘casa’ participar das eleições do próximo ano na cidade como coadjuvante. Neste sábado (19), Marçal participa em Campo Grane da convenção estadual que conduzirá Marcio Monteiro a mais um mandato a nível estadual.

Ex-deputado federal Marçal Filho vai trocar o PMDB pelo PSDB - Foto: Divulgação
Ex-deputado federal Marçal Filho vai trocar o PMDB pelo PSDB – Foto: Divulgação

Em entrevista ao Dourados News na manhã desta sexta-feira (19), ele falou sobre a falta de espaço dada pelo deputado federal Geraldo Resende presidente do agora ex-partido, o PMDB, e sobre a possibilidade de se lançar prefeito no pleito de 2016, evitando um novo ‘blocão’ partidário, como feito há três anos e que levou Murilo Zauith (PSB) a prefeitura com apoio tucano, inclusive.

“Não era de minha vontade a mudança [de partido], tanto que estive por muito tempo no PMDB, mas, estou saindo por conta da direção local. Não há espaço para ninguém e tampouco diálogo. No PSDB eu tenho boa relação com todos. Já formei chapa como vice da Marisa [Serrano, atualmente no Tribunal de Contas, nas eleições para o governo do Estado em 2002] e conheço o Reinaldo [Azambuja, governador] desde a época em que ele era prefeito de Maracaju e eu, deputado federal”, disse.

Em 1998 Marçal pousou em ‘ninho tucano’ e no ano seguinte retornou ao PMDB, onde iniciou sua vida política. “Por conta das conjunturas políticas naquela época eu precisei ingressar no PSDB, mas em seguida acabei retornando”, comentou o radialista.

Na nova casa, ele terá a missão de comandar o diretório local, hoje a cargo do agrônomo Maurício Peralta, e já iniciou conversas sobre possíveis alianças para a eleição do ano que vem.

“Ainda preciso me filiar oficialmente, não foi definido data, mas será nos próximos dias. Vou assumir o partido e já venho conversando com diversas lideranças para caminharmos juntos, uma delas é o deputado estadual Zé Teixeira (DEM)”, afirmou.

Questionado se é pré-candidato para a disputa do pleito, Marçal Filho despistou e afirmou que nenhuma imposição foi feita por ele para que isso aconteça.

“Existe possibilidade, mas ela não foi imposta. Minha saída do PMDB para o PSDB não está vinculada a obrigatoriedade para que eu seja lançado candidato a prefeito. O que não cogitamos é ficar fora de chapas majoritárias. Quem nos procurar para somar forças, vamos buscar entendimento”, finalizou.

Apesar de não se colocar como pré-candidato, o nome do radialista dará uma ‘injeção de ânimo’ no partido que nunca elegeu prefeito a nível local.

No PMDB, a ‘bronca’ maior de Marçal foi em relação às eleições de 2012. Na época ele tinha como certa a candidatura para a prefeitura mas acabou barrado pelo partido, que resolveu indicar o nome do vice para a reeleição de Murilo Zauith (PSB).

Descontente com a situação, o então deputado federal apostou todas as suas fichas na radialista Keliana Fernandes, atualmente no PPL, que acabou derrotada nas urnas. A partir daí, o deputado se tornou um opositor ferrenho da atual administração municipal.

 

Dourados News

Comentários

comentários