Mandetta é recebido com protesto, diz ouvir indígenas e garante recursos para obras de hospitais em Dourados

Cumprindo agenda na manhã desta sexta-feira (8/3) em Dourados, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), garantiu que não faltará recursos por parte do governo federal para o término das obras do Hospital da Mulher e da Criança, que funcionará anexo ao Hospital Universitário, e também para o Regional, construído em parceria com o governo do Estado às margens da BR-463.

Em meio a protesto de indígenas e profissionais contrários a municipalização da saúde indígena, o ministro alegou estar disposto a debater o caso, mas deixou claro que atualmente o modelo usado pelo país é caro e com pouca eficiência.

Mandetta e Geraldo durante visita ao canteiro de obras – Crédito: Vinicios Araújo/Dourados News

Ao chegar no HU acompanhado do secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende (PSDB), Mandetta atendeu a imprensa e visitou as obras da unidade que atenderá mulheres e crianças de toda a região.

Segundo o Dourados News, de acordo com ele, não há possibilidade de que as obras sejam paralisadas. “Não por falta de dinheiro”, relatou aos repórteres durante coletiva.

“Essas duas unidades são prioridades para a região, assim como investimentos em outras cidades do MS (…) Há uma ordem do presidente Jair Bolsonaro para que não haja obras paradas (…) Não dá mais para improvisar e não dá mais para que Dourados não se consolide como polo de saúde. Hoje Campo Grande já se fadiga, então é necessário que esse polo, que é mais maduro, seja consolidado”, contou.

Sobre o custeio de outras fases, como aquisição de equipamentos e material humano, o ministro disse já ter se atentado ao fato.

Na mesma linha de Mandetta, o secretário de Saúde Geraldo Resende afirmou acreditar que até o próximo ano, tanto o Hospital Regional, quanto o da Mulher e da Criança estejam atendendo a população da região.

“Aqui [Hospital da Mulher e da Criança] está sendo erguido talvez a melhor estrutura para atendimento à mulher da região Centro-Oeste. A obra está bastante avançada e queremos fazer todo o esforço para que tenha terminado já em meados do ano que vem. Tem recurso para a primeira etapa [Hospital Regional] e queremos que essa obra avance muito esse ano para junto do Hospital da Mulher, podermos ter em 2020 um novo patamar de saúde pública para Dourados e região”, contou o secretário.

Após caminhar pelo local, ambos se dirigem ao canteiro onde funcionará o Hospital Regional.

Comentários