Mais de 50 morrem na Síria após suposto ataque com armas químicas

Um suposto ataque de aviões de guerra com armas químicas deixou ao menos 53 mortos e centenas de feridos na Síria, afirmou o Observatório Sírio de Direitos Humanos. Entre os mortos há ao menos 28 mulheres e crianças, acrescentou a ONG.

O Observatório, que citou testemunhas, apontou que os projéteis continham substâncias tóxicas que causaram sintomas de asfixia entre os afetados.

O bombardeio foi na região de Aquirabat, na província de Hama, que está sob controle do grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

Desde a manhã de domingo (11) se registraram ataques contra os povoados de Aquirabat, Al Qustul, Al Yaruh e Al Sulalia.

Mais cedo, o presidente do Conselho Local do Povo de Aquirabat, opositor ao governo, havia dito à EFE por telefone que ao menos 35 pessoas morreram e outras 200 ficaram feridos pelas bombas, que continham gás sarin.

Segundo ele, não há nenhum hospital ou centro médico nessa região, então o número de mortos pode aumentar. Ele afirma que a maioria dos bombardeios foi com aviões russos. (EFE)

Comentários