Mais de 100 mil jovens não estudam ou trabalham em Mato Grosso do Sul

Da Redação

Conhecida como a ‘geração nem-nem’, cerca de 111 mil jovens entre 15 e 29 anos não estudavam ou trabalhavam em 2018, em Mato Grosso do Sul, conforme dados divulgados essa semana pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

A estatística faz parte da Síntese de Indicadores Sociais 2019, do IBGE, que sistematiza um conjunto de informações sobre a realidade social do País, e analisa as condições de vida da população.

Mato Grosso do Sul apresentou em 2018, a 4ª menor taxa de pessoas de 15 a 29 anos que não trabalhavam ou estudavam (18%). Comparando a 2017, houve uma redução no percentual, que era de 18,9%. Com relação aos jovens que só estavam trabalhando, o Estado tem o 3° maior percentual do País, com 39,9%. Entre os que só estudavam, o percentual foi de 25,9%, já 16,2% trabalhavam e estudavam.

Taxa de escolarização em MS – A partir da informação de frequência à creche ou escola, é possível calcular a taxa de escolarização e a taxa ajustada de frequência escolar líquida, indicadores que ajudam a monitorar o acesso, atraso e a evasão do sistema de ensino brasileiro.

Essa taxa retrata a proporção de estudantes em relação ao total de pessoas. No Estado, a taxa de escolarização de acordo com os grupos de idade foi a seguinte:

Pesquisa, IBGE.

A taxa ajustada de frequência escolar líquida representa a razão entre o número de estudantes com idade prevista para estar cursando uma determinada etapa de ensino e a população total na mesma faixa etária. Confira a taxa ajustada de frequência escolar líquida ao ensino fundamental das pessoas de 6 a 24 anos, por etapas do ensino fundamental:

Pesquisa, IBGE.

Conforme os números, dentro do total das pessoas de 6 a 10 anos, 2,6% estão atrasadas ou fora do sistema de ensino brasileiro (97,4% estão regulares ou adiantadas). 83,6% das pessoas entre 11 e 14 anos estão regulares ou adiantadas, enquanto outras 16,4% estão atrasadas.

Houve uma redução da taxa em todas as faixas etárias, comparando 2018 com o ano anterior. A exceção se aplica a jovens de 15 a 17 anos nos últimos períodos do ensino médio. (61,7% em 2017 para 67,1% em 2018).

Conforme a pesquisa, apensas 26,2% das pessoas de 18 a 24 anos estavam cursando ensino superior no Estado, em 2018.

Comentários