Mais da metade da malha viária do Estado apresenta algum tipo de problema

Estudo divulgado na manhã desta segunda-feira (30) pela CNT (Confederação Nacional dos Transportes) aponta que mais da metade da malha viária de Mato Grosso do Sul apresenta algum tipo de problema. Os dados são do Anuário CNT de Transporte e abrange todo o país.

Mais da metade da malha viária de MS possui algum tipo de problema, aponta estudo
Mais da metade da malha viária de MS possui algum tipo de problema, aponta estudo

Conforme a publicação, o Estado tem atualmente 4.413 quilômetros de vias federais e desses, 2.476 quilômetros foram considerados regular, ruim ou péssimo.

Apear do número, a diferença é alta em comparação aos dados de 2005, onde a quantidade era de quase 2.689 mil quilômetros em más condições para 3.750 de estradas pavimentadas. Naquela época, as vias em estado ruim ultrapassavam 1 mil quilômetros e péssimo, 119.

Atualmente, em ótimo estado de conservação a CNT cadastrou 291 km de vias em território sul-mato-grossense, já em situação boa, 1.646.

Brasil

Em nível nacional, o estudo mostra que nos últimos 15 anos, as rodovias pavimentadas cresceram 23,2% no Brasil, uma média de apenas 1,5% ao ano. Enquanto em 2001, o país possuía 170,9 mil km com pavimento (9,8% do total), em 2015, esse número chegou a 210,6 mil km (12,2% do total), crescimento de somente de 39,7 mil km, para um tipo de transporte que corresponde a mais de 60% das movimentações de carga e a mais de 90% dos deslocamentos de passageiros.

O investimento em infraestrutura foi baixo, e a frota de veículos aumentou 184,2% no período.

De acordo com o Anuário CNT do Transporte, os Estados com maior malha pavimentada em 2015 são Minas Gerais (25.823,9 km), São Paulo (24.976,6 km), Paraná (19.574,1 km), Bahia (15.910,7 km) e Goiás (12.760,6 km).

Já aqueles que têm menor malha pavimentada são Amazonas (2.157,0 km), Acre (1.498,2 km), Roraima (1.462,8 km), Distrito Federal (908,0 km) e Amapá (528,1 km). Segundo a última Pesquisa CNT de Rodovias, de 2015, 48,6% do pavimento da extensão avaliada apresenta algum tipo de problema, tendo classificação regular, ruim ou péssimo.

Já em relação às condições gerais dos trechos pesquisados (que incluem também sinalização e geometria), o percentual de rodovias avaliadas com algum tipo de problema foi de 57,3%. A CNT avalia toda malha federal pavimentada e os principais trechos das malhas estaduais também pavimentadas.

Comentários

comentários