Maior bloco vai a rua hoje para realmente começar ou lotar a folia da Capital

Lúcio Borges

Campo Grande está com chuva quase a semana toda, que pode atrapalhar o Carnaval local, que teria ou teve na quinta-feira (28), um inicio da folia pelos blocos, com o primeiro grupo, o Evoé Baco, que abre a folia na modalidade. Mas, ontem já não tinha programação oficial, que vem neste sábado (2), para continuar todos os dias até a próxima terça-feira (5), se as águas não atrapalharem. Assim, o maior bloco da Capital, o Cordão da Valu, está programado e vai as ruas hoje para realmente começar a maior festa popular do Brasil pelas terras da Cidade Morena. Em 2018, o grupo liderou pelas ruas o desfile e após parado, cerca de 25 mil foliões no primeiro dia.

Veja abaixo a programação dos blocos, que iniciou com o Cordão da Valu há 12 anos e virou tradição na Esplanada ferroviária, principalmente nos últimos quatro anos. Contudo, quase não se realizou neste ano. Mas, após muita negociação que envolveu até ação judicial, a programação será realizada, em tese diferenciada e com horário noturno pouco reduzido, mais ocorrerá na região. Já devido aos estragos da chuvas, a festa em shows de bandas que aconteceria, foi cancelada pela prefeitura, que realizaria o “carnaval de rua popular”.

Os blocos tem dias preenchidos oficialmente, foi na quinta-feira com o Evoé Baco, e após neste sábado (2), com o dia principal do Cordão da Valu, que iniciará as 14 horas até as 22 hs, no novo horário acordado. No Domingo (3), tem o desfile de todos os blocos da cidade (pequenos a grandes), promovido pela Ablac com apoio da prefeitura, que será neste ano na Avenida Calógeras entre Maracaju e Antonio Maria Coelho. Como ainda, no domingo, na Praça do Rádio, a Orquestra Vai Quem Vem, faz sua folia no local, durante a tarde e inicio da noite. O grupo já realiza sua festa e apresentação no terceiro ano seguido.

Também grande, tem outro bloco que virou blocão, vai animar a segunda-feira (4) . A tarde e noite do dia é do outro pioneiro, grande e tradicional bloco Capivara Blasé, que faz sua folia nas ruas de entrada da Esplanada. Com ou sem fantasia, a participação para todos os blocos de rua é gratuita. Basta os foliões se animarem. A Capital terá também a folia pelas Escolas de Samba, no sambódromo da cidade, na região da Praça do Papa, na segunda e terça-feira (5).

Vai e volta

O Cordão da Valú retorna na terça-feira (5), no mesmo horário de sábado. E o Capivara retorna no enterro dos ossos, no outro sábado, dia 09 de março.

Hoje no Cordão Valu

É o dia de desfile do maior e mais tradicional bloco de rua da cidade, o Cordão Valu. Em cumprimento ao acordo feito com o Ministério Público Estadual (MPE), os dois eventos terão início às 14 horas, com encerramento às 22 horas. Com isto, o novo horário, tem a concentração dos foliões iniciando às 14h, onde que neste ano, o grupo homenageia os 70 anos de fundação do Afoxé Filhos de Gandhy, um dos grupos mais tradicionais do Carnaval de Salvador.

Conforme a Silvana Valu, às 15h, a Charanga do Cordão, com dez músicos, responsável por puxar o desfile, fará um esquenta para o público. De cima de uma carreta de som, às 16h a Charanga, com as tradicionais marchinhas iniciará o cortejo, que percorrerá o seguinte trajeto: Rua General Melo, Avenida Calógeras e sobe na Rua Antônio Maria Coelho até a Rua Rui Barbosa. O cortejo ou já quase um trio elétrico, retorna pela Avenida Mato Grosso, Rua 14 de Julho, encerrando na Rua General Melo, na Esplanada. A previsão é que o desfile dure uma hora e meia.

Após o desfile, haverá participação da bateria da Escola de Samba Igrejinha. O cantor Edir Valu, encerrará a noite. Em sua apresentação, Edir irá homenagear o Afoxé Filhos de Gandhy cantando mantras do grupo baiano. Na terça-feira (5), um grupo de samba encerra a festança.

A novidade neste ano é a carreta de som em que o Cordão promete surpresas. Conforme acordo com o MPE, este ano os eventos na Esplanada não terão palco, para facilitar a circulação dos foliões. “As apresentações dos artistas nos shows programados para as duas festas do Cordão, ocorrerão sobre uma carreta de som, contratada pelo Valu, porém as suas características ainda são segredos para ser uma surpresa ao público”, explica Silvana Valu, fundadora do bloco.

Capivara Blasé

No dia 4 de março, segunda-feira é a vez do Capivara Blasé sair às ruas, na Esplanada Ferroviária. A concentração terá início às 15h, na Rua Dr. Temistocles, com desfile previsto para às 16h.

Como em anos anteriores, das 15h às 18h, haverá o espaço “Capivarinhas”, com cadeiras para mães lactantes amamentarem, trocador fraldário e pintura facial para as crianças do Capivara. Toda a programação é gratuita aos foliões.

Ano passado, o bloco reuniu mais de 30 mil foliões e, este ano, após tantos impasses a organização está animada. “É difícil prevermos uma estimativa. Mas os blocos de rua têm sido a preferência nacional para a maioria dos foliões, e em Campo Grande não está diferente. Eu, particularmente atribuo esta preferência pela relação entre a festa mais popular do Brasil e a própria diversidade do seu povo, com o caráter gratuito, a mistura das classes, dos grupos”, explica a diretora do grupo Angela Montealvão.

O Evoé Baco

Na quinta-feira, a concentração teve início às 18 horas, na sede do Teatro Imaginário Maracangalha, na Rua Nicolau Fragelli (primeira após a Avenida Mato Grosso, entrando pela Avenida Calógeras). O bloco fez um percurso pelas ruas do bairro Amambaí até o bar Bola 7, que fica na Rua Vasconcelos Fernandes com Barão do Rio Branco (esquina da antiga rodoviária). No bar começa às 20 horas.

Este ano, mais uma vez, ocorreu a participação da Orquestra Vai Quem Vem, puxando o cortejo e o bloco prestigia o bairro mais antigo da cidade, rompendo com o “medo” em um dos pontos antigos mais abandonados. Por lá, a festa continua com a “Gira das Marchinhas” e cantorias.

Comentários

Comentários