Maio Amarelo ou Vermelho: 68 acidentes e oito bêbados são registrados neste FDS na Capital

Lúcio Borges

A semana passada se iniciou com o movimento nacional “Maio Amarelo”, que incentiva práticas de conscientização e respeito à legislação de trânsito para reduzir acidentes e mortes no trânsito. Contudo, em Campo Grande, ao fechar os primeiros dias, neste fim de semana, aconteceu ao contrario e a “Embriaguez e alta velocidade” estão em primeiro lugar. O fato ainda até teve um maior destaque da sexta-feira à noite até metade deste domingo (7), onde a polícia, nas últimas 48 horas, já registrou oito pessoas presas em flagrante por dirigirem alcoolizadas e 68 acidentes de trânsito da Capital com duas mortes.

O total de acidentes teve vítimas em 30 das ocorrências, incluindo a morte de uma criança de 8 meses, nesta madrugada, como o Página Brazil registrou mais cedo. As oito pessoas presas em flagrante por dirigirem embriagadas, de sábado para domingo, em diversos pontos da Capital. Além disto, dos detidos, dois não têm CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

O comandante do BPTran (Batalhão de Polícia Militar de Trânsito), tenente-coronel José Amorim Longatto, aponta os dois fatores, que eram e continuam ser o grande ‘mal’ das ruas e se comprova durante este sábado/domingo. “A alta velocidade é um dos principais fatores de risco para causas de acidentes no trânsito da Capital e é o que acontece e registramos. Com isto, ainda vem outro ponto preocupante, quanto ao alto índice de ingestão de bebidas alcóolicas em Mato Grosso do Sul, principalmente entre os jovens, que embriagados e correndo matam e morrem”, avalia.

Amorin completa a avaliação ou ratifica repassando os números. “As informações da BPtran são que somente entre ontem e hoje (07), foram registrados 25 acidentes, com total de nove vítimas. Foram realizadas oito prisões por embriaguez. Entre sexta e sábado (06), foram registrados 43 acidentes, com vítimas em dois deles. Somados perfazem o total dos 68 em menos de 48 horas completas”, apontou o comandante.

Prisão e multa

Desde novembro do ano passado, dirigir sob influência de álcool é infração gravíssima, segundo o CTB (Código de Trânsito Brasileiro). Além de pagar multa no valor de R$ 2,934,70, o condutor perde o direito de dirigir por 12 meses. Em caso de reincidência, o valor dobra para R$ 5.869,40. Além da esfera administrativa, o flagrante pode resultar em prisão se a medição do etilômetro indicar mais de 0,34 miligramas de álcool por litro de sangue.

Caso mais grave e os erros recorrentes

O reflexo da irresponsabilidade e falta de conscientização no trânsito está no exemplo desta madrugada, onde homem causou dois acidentes, que por fim ou por consequência matou seu filho de apenas 8 meses. A morte além do acidente, também veio pelo erro do bebe não estar na cadeirinha obrigatória no banco traseiro, mais sim no colo da mãe no banco do passageiro.

O bebe era Sérgio Augusto Barbosa Xavier Neto, que veio a óbito durante acidente de carro provocado pelo próprio pai, Sérgio Augusto Barbosa, 25 anos, que dirigia embriagado na Vila Palmira, região oeste da Capital. O jovem pai ficou ferido, mas foi preso em flagrante após teste do bafômetro confirmar o alto índice de álcool no sangue, acima de 0,34 miligrama por litro de sangue. Ainda colocou em risco a vida da esposa, que segurava o bebê no colo no banco da frente, e de outra filha de nove anos, que seguia no banco de trás.

O outro veículo envolvido no acidente também era conduzido por um homem bêbado, que transportava outros quatro jovens. Ele também foi preso, como na noite de ontem, outros seis pessoas detidas em flagrante por dirigirem embriagadas.

Coincidências à parte, um dos detidos, de 31 anos, trafegava completamente bêbado pela mesma região onde a criança de 8 meses morreu horas depois, vítima de uma colisão frontal entre dois veículos guiados por dois homens alcoolizados – um deles o próprio pai.

Comentários