Lutador que matou hóspede de hotel a cadeiradas irá a júri popular

O lutador de jiu jitsu Rafael Martinelli Queiroz, 28 anos, vai a júri popular em data ainda a ser marcada. Ele matou o vendedor Paulo Cezar de Oliveira, que tinha 49 anos, em 18 abril de 2015. O homem morreu depois de ser atingido por cadeira na cabeça.

Rafael Martinelli Queiroz antes da prisão - Foto: Reprodução
Rafael Martinelli Queiroz antes da prisão – Foto: Reprodução

Desde que foi preso, Rafael tentou de várias maneiras a liberdade e alegar, realizando diversos exames, insanidade. Porém, as alegações não foram aceitas e ele segue será julgado por homicídio qualificado. Rafael continua preso preventivamente no Complexo Penitenciário de Campo Grande.

O juiz da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Alexandre Tsuyoshi Ito, proferiu sentença determinando o júri e acatando as denúncias. Rafael responderá por homicídio qualificado por meio cruel e com recurso que dificultou a defesa da vítima.

A Justiça Estadual ouviu a namorada do acusado, cinco testemunhas de acusação e seis de defesa no período de instrução. O réu também manifestou-se. A defesa do lutador pediu a absolvição dele.

“Em sua decisão, o magistrado observou que há provas de materialidade e de autoria suficientes de que o acusado teria cometido o homicídio de Paulo Cezar, pois, entre outras provas (sobretudo depoimentos que corroboram para o fato), ‘as imagens colhidas pelo sistema de segurança do hotel demonstram claramente que R.M.Q. encontrava-se extremamente nervoso e com a agressividade aflorada no momento dos fatos”, informou nota do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul.

Consta na denúncia do Ministério Público que Rafael, que veio à Campo Grande para disputar um competição de artes marciais, discutiu no hotel com sua namorada com tapas no rosto e um soco na região glútea. Depois, ela conseguiu escapar dele, saindo correndo pelo corredor.

Com isso, o lutador passou a arrombar as portas dos apartamentos próximos em busca da namorada, encontrando dentro de um deles a vítima Paulo Cezar, o golpeando com uma cadeira, batendo nele até a morte.

Comentários

comentários