Logo após achar soluções, o Vasco se vê recheado de problemas

Lancepress/JP

Luxemburgo tenta montar o quebra-cabeça da equipe cruz-maltina (Foto: Carlos Gregorio Jr/Vasco.com.br)

A obtenção dos três pontos na partida contra o Goiás exigiu ao Vasco um time com ataque leve e meio-campo marcador. Mas a equipe precisará se reinventar para o jogo diante do Flamengo, no próximo sábado. As soluções que Vanderlei Luxemburgo encontrou poderão não ser suficientes diante do maior rival.

O lado que não deve sofrer alterações é o direito. O treinador cedeu à seu entendimento original de que Yago Pikachu é lateral e o recolocou na ponta. Isso porque Rossi segue – e deverá seguir – fora de combate. Assim, Cáceres voltou a ser titular e teve atuação segura. Até gol quase marcou.

O paraguaio deve continuar, mas a trinca de volantes foi refeita com Marcos Júnior, que está suspenso para o clássico. Justo quando Richard se mostrou mais consolidado e Raul teve mais liberdade para ir ao ataque – foi dele a jogada que resultou no gol.

Se for Marquinho o substituto, a dinâmica do time muda. Assim como é alterada quando Lucas Mineiro é o titular, e foi ele escolhido para entrar já neste domingo, contra o Goiás. Troca mais radical será se Fellipe Bastos, atualmente primeiro volante, for o escolhido.

No ataque, Talles Magno foi o mais perigoso diante do Goiás, mas o Cruz-Maltino vai precisar dobrar a CBF para que ele seja liberado dos amistosos com a Seleção Sub-17. Marrony, embora mais discreto, seguiu titular, mas foi expulso. Contra o Esmeraldino, Lucas Santos entrou pela esquerda; Vinícius, se eleito, tem o lado direito como preferencial.

Bruno César deixaria o time mais lento. Valdívia nem relacionado para a partida deste domingo foi. Haja problema, apesar das soluções anteriormente vistas.

Comentários