Lixão e Cidade de Deus serão novamente “denunciados” na Câmara

Camara22A sessão ordinária da Câmara Municipal de Campo Grande desta terça-feira (19) tem programado a discussão de um único projeto e a fala de representantes  sociais, que usaram a “Palavra Livre” para tratar sobre o aterro sanitário, o lixão, e a transferência dos moradores da Cidade de Deus. Os dois temas devem até ter destaque maior, pois provocará debate sobre as questões que acontecem na região sul da Capital.

Os temas voltam ao Legislativo ou não deixam de ser pautado na Casa devido à consequências de ações, positiva ou negativa, que vem sendo realizadas pelo Poder Público municipal e Judiciário, como o fechamento do lixão e o fim da favela também no local, que foi determinado pela Justiça. O Legislativo abrirá a palavra no chamado tempo de “Palavra Livre”, onde representantes de entidades sociais falam de temas de interesse coletivo voltado ao anuncio ou a denuncia de questões que envolvem a sociedade e ou a projeto de classe.

Durante a sessão, o senhor Sebastião Bráz Chagas Júnior, a convite do vereador Alex do PT, discorre sobre a situação dos catadores de resíduos sólidos. Também usará a palavra a defensora pública Olga Lemos Cardoso de Marco, que falará sobre a mudança das famílias da favela Cidade de Deus, que deixou crianças fora da escola. O convite foi feito pelo vereador Edil Albuquerque.

Projeto a votar

Os vereadores debatem e devem votar o projeto de lei, que tem turno único de discussão e votação. Será apreciado pelos parlamentares o projeto de lei complementar n. 466/15, substitutivo ao projeto de lei n. 7.950/15, que dispõe sobre a obrigatoriedade de comunicar aos órgãos de proteção da criança e do adolescente os casos de uso e abuso de álcool e drogas. A proposta é de autoria do vereador Professor João Rocha.

Comentários

comentários