Lista de beneficiados com lotes irregulares em MS tem políticos e falecidos

Pelo menos 12 pessoas já mortas estão entre as “beneficiadas” com lotes da reforma agrária em Mato Grosso do Sul, segundo levantamento realizado pela CGU (Controladoria-Geral da União) junto ao Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).

6lotes

Em todo o Estado, são 1.994 lotes irregularidades registrados pelo órgão.

A lista publicada pela Controladoria mostra ainda que dentro do programa desenvolvido pelo governo federal para assentar famílias de trabalhadores rurais, 1.391 são servidores públicos, 10 políticos, 25 deficientes físicos e 188 aposentados por invalidez, os dois últimos não podem ter deficiências que os impossibilitem o trabalho agrícola.

Além dos citados, 81 adolescentes menores de 16 anos também estão na lista divulgada, assim como 389 empresários. Entre os citados, apenas 362 possuem renda de até três salários mínimos, confira aqui todos os nomes do relatório da CGU.

ENTENDA

Auditoria realizada pela CGU (Controladoria-Geral da União) em 2015 junto ao Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), aponta para quase 2 mil lotes da reforma agrária irregulares em Mato Grosso do Sul. A ação, segundo o órgão, teve como objetivo verificar se os assentados atendem aos requisitos de admissibilidade do programa do governo federal.

Em todo o Brasil são quase 76 mil casos. A Controladoria chegou aos dados por meio de cruzamento das informações do Sipra (Sistema de Informações de Projetos de Reforma Agrária) com outros bancos de dados governamentais.

Dentre as principais irregularidades identificadas em todo o Brasil, destacam-se a homologação de 38.808 parcelas da reforma agrária em favor de pessoas que ocupavam função pública e a homologação de 15.347 parcelas em favor de pessoas que já haviam sido anteriormente beneficiadas pelo PNRA (Programa Nacional de Reforma Agrária).

Além disso, o trabalho revelou que existiam aproximadamente 15 mil beneficiários suspensos por identificação de alguma irregularidade, mas que ainda não tiveram suas situações analisadas. Em nível de Mato Grosso do Sul, esse número é de 230 beneficiários suspensos.

Ainda conforme a CGU, em resposta ao Relatório de Auditoria, o Incra comprometeu-se a fazer a verificação de cada um dos beneficiários apontados como irregulares e promover o aperfeiçoamento do processo de seleção de candidatos do PNRA, afim de evitar novas homologações indevidas.

Comentários

comentários