Líderes de facções no RS chegam ao Presídio Federal de Campo Grande

G1/JN

Nove dos 27 presos transferidos de duas penitenciárias do Rio Grande do Sul, nesta sexta-feira (28), já estão no Presídio Federal de Campo Grande. O restante foi levado para unidades federais de Porto Velho, em Rondônia; e Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Momento em que vã com presos chega sob escola no Presídio Federal, em Campo Grande (Foto: Jeferson Ageitos/TV Morena)

Os apenados foram levados para o presídio em uma vã escoltada por outros veículos. Por volta das 14:30 (de MS) o grupo já estava no local. Os condenados são chefes de organizações criminosas, envolvidos com tráfico de drogas e execuções em várias regiões do sul do país.

Chegada em Campo Grande

Os presos transferidos das Penitenciárias de Alta Segurança de Charqueadas (PASC) e da Modulada de Estadual de Charqueadas chegaram na Base Aérea de Campo Grande por volta das 12h50 (de MS) desta sexta-feira (28) em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB).

Do grupo formado por 27 apenados – que juntos somam 1,2 mil anos de condenação -, nove ficaram em Campo Grande. O restante foi levado para presídios no norte e nordeste do país.

Entre os presos está José Carlos dos Santos, o Seco, um dos principais assaltantes de bancos e carros-fortes no Rio Grande do Sul. Ele estava na penitenciária desde 2006 e foi condenado a 205 anos de prisão.

Também foram transferidos presos que participaram da escavação de um túnel em direção à Cadeia Pública de Porto Alegre, novo nome do Presídio Central, que poderia gerar a maior fuga da penitenciária.

Movimentação

A movimentação de agentes penitenciários e policiais na penitenciária iniciou ainda na madrugada, no Rio Grande do Sul. Até mesmo um trecho da ERS-401 foi bloqueado para facilitar a remoção dos apenados. Em seguida, os presos foram levados para a Base Aérea de Canoas, na Região Metropolitana.

As transferências foram solicitadas pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) para as justiças federal e estadual, que autorizaram as remoções. Na quinta-feira (27), também ocorreu a transferência de presos da Cadeia Pública de Porto Alegre.

Transferidos
Caio Cezar Pereira da Silva (Caio Loco)
Dezimar de Moura Camargo (Tita)
Cristiano Feijó Madrile (Cabelo)
Juliano Biron da Silva (Biron). Acusado de ter matado o fotógrafo José Gustavo Bertuol Gargioni, 23 anos, em Canoas, em julho de 2015. Biron foi preso em Santa Catarina em janeiro de 2016.
Tiago Benhur Flores Pereira (Benhur)
Fabrício Santos da Silva (Nenê)
Daniel Araújo Antunes (Patinho)
Tiago Gonçalves Prestes (Pasteleiro)
José Marcelo Reyes Morales (Camarão)
Marcos José Viotti (Mineiro)
Fábio Luis da Silva Mello (Fábio do Gás)
Cássio Alexandre Ribeiro (Vida Loka)
Vanderlei Luciano Machado (Lelei)
Fábio Fogassa (Alemão Lico)
José Carlos dos Santos (Seco). Um dos principais assaltantes de bancos e carros-fortes no Rio Grande do Sul. Em 2014, foi condenado a 205 anos de prisão.
Márcio Oliveira Chultz (Alemão Márcio)
Diego Moacir Jung (Dieguinho)
Letier Ademir Silva Lopes (Letier). Traficante. Teria ordenado a morte de pelo menos 28 pessoas, segundo a Polícia Civil.
Milton de Melo Ferraz (Milton Tinga)
Jonatha Rosa da Cruz (Vick)
Wagner Nunes Rodrigues (Minhoquinha)
Leonardo Ramos de Souza (Peixe)
Anderson Bueno Martins (Fofo)
Risclei Bueno Martins (Risclei)
Adriano Pacheco Espíndola (Baiano)
Carlos José Machado dos Santos (Cacaio)
Eder Souza dos Santos (Edinho)

Comentários