Líder do Governo na Câmara diz que ‘País quebra’ se MPs do ajuste fiscal não forem aprovadas

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), acusou senadores do PT contrários ao ajuste fiscal de Dilma Rousseff de fazer “firula” e afirmou que o país “quebra” caso o Senado não aprove as medidas provisórias de aperto nos gastos trabalhistas e previdenciários.

José Guimarães - PT CE
Líder do Governo na Câmara diz que ‘país quebra’ sem MPs do ajuste fiscal – Foto: Folha Press

“O país quebra se não votarmos as medidas provisórias. (…) Quebra porque desacelera, não cria expectativa, não sinaliza para o ambiente econômico do país. Essa não votação [das MPs do pacote] pode inviabilizar politicamente a economia do país”, afirmou Guimarães em entrevista coletiva.

Após muita resistência, inclusive de deputados do PT, a Câmara aprovou nas últimas semanas as MPs 664 e 665, que endurecem as regras para acesso a benefícios como o seguro-desemprego e a pensão por morte.

O Senado adiou a votação dessas propostas para a semana que vem e, na visão do governo, a Casa tem que aprová-las sem modificação. Isso porque se houver alteração, as MPs voltam para a Câmara, que, como reconhece o próprio Guimarães, não terá tempo hábil para nova votação.

Pelas regras de tramitação das MPs, o Congresso tem até o dia 1º de junho para votá-las. Caso contrário, elas caducam.

Diferentemente de Guimarães, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou que se o Senado alterar as MPs e elas regressarem até a próxima quarta-feira (27), a Casa as votará no mesmo dia ou no dia seguinte. Segundo Cunha, a Câmara não pode passar a imagem de ser contra o ajuste nem negar a Dilma as condições de governabilidade.

Devido ao tempo exíguo, Guimarães criticou, sem citar os nomes, os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Paulo Paim (PT-RS), que anunciaram publicamente votos contrário ao pacote de Dilma.

“Tem gente no PT que adora bater foto com a Dilma quando ela vai para os Estados. E adora fazer movimento contrário. (…) To falando agora como vice-presidente nacional do PT, isso não pode. Ser governo tem ônus e bônus político, não tem jeito”, disse Guimarães, em tom inflamado.

“Tem que ter cara. Esse negócio de ficar fazendo firula com a oposição não é razoável. A oposição está no lugar dela. Deputado e senador do PT tem que ser solidário com a Dilma nesse momento.”

Silvio Ferreira

Comentários

comentários