Liberado da cadeia para depor, Olarte alega inocência

O vice-prefeito afastado de Campo Grande Gilmar Olarte (PP) foi ouvido pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MP-MS) na tarde desta quarta-feira (17). O depoimento foi prestado para promotores do Gaeco (Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado).

Ao terminar o depoimento Gilmar Olarte voltou para o presído militar estadual, onde cumpre a prisão temporária de cinco dias. Ele nega as acusações.

Olarte foi preso na manhã de segunda-feira (15) suspeito de lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e associação criminosa. Segundo o MP, ele comprou imóveis com dinheiro de corrupção. A mulher dele, Andrea Olarte, um corretor de imóveis e um empresário foram presos na mesma operação.

Olarte prestou depoimento ao Gaeco (Foto: G1)
Olarte prestou depoimento ao Gaeco (Foto: G1)

 

Investigação

Conforme o Gaeco, a partir da quebra de sigilo bancário de Andréia Olarte foi verificado que entre os anos de 2014 e 2015, período em que Gilmar estava como prefeito, ela adquiriu vários imóveis em Campo Grande, alguns em nome de terceiros.

As compras, a princípio imcompatíveis com a renda do casal, eram efetuadas com pagamentos iniciais em elevadas quantias, sendo em dinheiro vivo, transferências bancárias e depósitos.

Para as compras, o casal contava com ajuda do corretor de imóveis, considerado braço direito de Andréia e de Gilmar, e do comerciante que fornecia o nome para as aquisições.

Ainda segundo o Gaeco, os crimes em investigação têm relação com a operação Adna, em trâmite no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Na ação, Gilmar Olarte é acusado de corrupção passiva. (Com Informações do G1)

Comentários

comentários