Liberação de FGTS de contas inativas já não sai em fevereiro prevê Caixa

Consulta podem ser feita pelo aplicativo do FGTS, disponibilizado pela Caixa

O entusiasmo ou burburinho formado na última semana de dezembro com anuncio do presidente Michel Temer, pela liberação de FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) de contas inativas, apesar de ser previsto para acontecer praticamente dois meses depois, já tem seu primeiro ‘volta atrás’, quase na chegada da efetiva liberação dos recursos. O ‘presente de Natal’ que era para receber no Carnaval, deve ficar provavelmente para a Páscoa. O adiamento aconteceu com o que alguns já comentavam sobre anunciar a ação, sem nem mesmo consultar e fazer toda “a conta na casa” do beneficio, a Caixa Econômica Federal.

O adiamento da anunciada liberação, já consta em novo prazo, de acordo com a Caixa Econômica, que é a gestora do Fundo. Os saques das contas inativas devem começar a ser liberados somente em março ante ao anúncio inicial, por parte do Governo Federal, que era de que o dinheiro pudesse ser sacado a partir do inicio de fevereiro.

O novo prazo vem informado em reportagem publicada neste sábado (21) pela Folha de S. Paulo. Conforme a publicação, a CAIXA argumenta que precisa de mais tempo para se estruturar a fim de atender a demanda, o que a impede de iniciar a liberação dos saques já no segundo mês do ano. O anuncio de Temer foi feito com aval de sua equipe econômica, mas depois confirmado que o banco em si, ainda deveria fazer o seu trabalho de contabilizar e liberar as contas. Pela previsão apurada, o calendário de saques deve durar até julho. A previsão é que ele seja divulgado em fevereiro.

Contudo, ainda há outro ponto contrario sendo debatido na CAIXA, que foi abordado pela Folha. Os técnicos da Caixa Econômica Federal, banco estatal que gerencia o FGTS, defendem um limite para os saques. Mas, o presidente Michel Temer, no entanto, para anunciar uma benfeitoria nacional, nesses tempos de crise, tem dito e até reforçou nesta semana, que a autorização será para que todos os trabalhadores possam sacar todo e qualquer valor – considerando que a conta tenha ficado inativa a partir de dezembro de 2015.

Movimentar Economia de todo país

Pelas contas do Planalto, a liberação do saque das contas inativas pode injetar R$ 30 bilhões na economia. Ou seja, além de benefício aos trabalhadores, seria medida importante para a recuperação econômica do País.

Comentários