Leite, feijão carioca e tomate ajudaram a desacelerar inflação em novembro

Preços de alimentos como leite longa vida, feijão carioca e tomate foram os que mais contribuíram para a desaceleração da inflação para 0,18% em novembro.

O IPCA, índice oficial de inflação do país, para o mês passado foi divulgado nesta sexta-feira (9) e apresentou queda frente ao registrado em outubro, quando esteve em 0,26%.

Preços do etanol, de planos de saúde e custos com empregados domésticos, por outro lado, foram os itens que mais contribuíram para uma alta no índice.

Entre as razões para a queda dos alimentos, que representam quase um terço no cálculo do IPCA, está o fim do período climático difícil -chuvas no Sul e Sudeste e secas no Nordeste-, que trouxe alento a produtos importantes na cesta de compras do brasileiro.

O leite longa vida caiu 7% de preço, tendo tido impacto de -0,08 ponto percentual nos 0,18% do IPCA do período. Foi o maior impacto individual de produtos na inflação do mês.

O feijão carioca, que teve queda de 17,52%, contribuiu com 0,07 ponto percentual do indicador.
O tomate teve queda de 15,15%, bem como a batata inglesa, que recuou 8,29%. Os dois produtos tiveram pesos de 0,04 e 0,02 ponto percentual, respectivamente.

O quinto item da lista das maiores quedas proporcionais não é alimento: a gasolina caiu 0,43% no período, impulsionada pelos anúncios de cortes de preços da Petrobras. A gasolina teve peso de 0,02 ponto percentual no indicador. (Folha.com)

Comentários