Sem distinção: Ladrões fazem quarta igreja Católica ‘vitima’ de arrombamento e roubos

Lúcio Borges

Paróquia na Moreninha que amanheceu com o arrombamento e duplo prejuízo

A ‘moda’ agora é roubar até igreja em Campo Grande, onde ladrões, que ainda não se sabe, se são os mesmos, em quadrilha formada para tal ação, mas que em uma semana já marcam a 4ª igreja Católica vitima de arrombamentos e roubos. Desta vez, com registro ontem (23), foi a vez da comunidade matriz Paróquia de Nossa Senhora Aparecida localizada nas Moreninhas. O local foi invadido, depredado e roubado, sendo o pior ataque até  momento, que já ocorreu também na Catedral de Santo Antonio, no centro da Capital, como na Paróquia de Santa Rita de Cássia, no bairro Universitário, e na comunidade de Nossa Senhora , na Vila Ipiranga, próxima do HU (Hospital Universitário).

A coincidência é que todas as presentes igrejas estão em um mesmo lado da cidade, na região centro-Sul. Todas tiveram algum prejuízo financeiro, sendo roubadas em objeto pequenos ou no conserto de estragos feitos em portas, janelas e paredes, como no maior e último na Moreninha. Nesta segunda-feira (23), quando chegaram à igreja para trabalhar, os funcionários perceberam que a parede que dá acesso à secretaria havia sido quebrada e que o local estava revirado.

O caso da Moreninha se caracterizou como um roubo maior, na busca de dinheiro, que poderia estar guardado no local, após arrecadação feita de uma festa Julina e da missa no fim de semana. “No último sábado (21) aconteceu a festa Julina, como grande sucesso e no domingo (22) a missa foi realizada normalmente com boa participação, onde temos o ofertórios. Assim, devem ter presumido que havia dinheiro guardado na secretaria”, disse o coordenador da comunidade, Alexandre Guimarães, 31 anos.

Contudo, Guimarães relata que os assaltantes ainda tiveram ‘sorte’, onde  os computadores não foram levados do local, mas R$ 300 que acabou ficando guardados em uma gaveta, “já que o restante do dinheiro arrecadado com a festa e a missa já havia sido retirados da igreja”, disse.

Destruição até de local sagrado na Santo Antonio

Outras invasões

Guimarães acredita que as pessoas que invadiram a igreja possam ser as mesmas que teriam invadido outras paróquias em Campo Grande. “Pode haver ligação sim, eles podem ter ‘achado’, observado que as igrejas ou algumas ficam livres demais. E eles estão ou vendo as noticias, estão pela região. Temos -as igrejas – que tomar cuidado e se ainda não tem algo mais seguro, tem que fazer”, comentou.

O Página Brazil noticiou que no último dia 17, a Paróquia Santo Antônio, na Avenida Calógeras, foi arrombada. Durante a invasão, o sacrário- um pequeno cofre sagrado colocado sob o altar´para guardar as hóstias- foi destruído. O reservatório era dourado, e assim, devem ter achado que era de ouro.

Nas outras igrejas foram levadas aparelhagem de som e pequenos objetos sem valor.

Polícia

As delegacias de polícia tem recebido os registros das ocorrências. Mas, as autoridades da Segurança Pública não se manifestaram a respeito do assunto, se há alguma ligação dos fatos, se pode ser uma quadrilha formada para tal ação contra igrejas ou são casos aleatórios.

Comentários