Kubica revela que deixará Fórmula 1 caso não consiga vaga titular em 2019

Gazeta Esportiva.com

Kubica espera vaga no time titular em 2019 (Foto: Reprodução/Williams)

Robert Kubica correu na Fórmula 1 entre  2006 e 2010. Em fevereiro de 2011, o polonês sofreu o acidente que o afastou da categoria. Mesmo com algumas limitações, o piloto voltou a correr com o objetivo de voltar à categoria e em 2017 assinou contrato com a Williams, a princípio como piloto de testes. A ideia de Kubica era estar de novo na F1 em 2018, mas ele foi apenas para a reserva da equipe.

A não promoção do polonês se deu por conta da contratação Sergey Sirotkin. Com um grande aporte financeiro, o russo foi prioridade para a construtora. Após o ano encostado, Kubica espera que a saída de Lance Stroll abra a oportunidade para, finalmente, ele voltar ao circuito. Mas caso isso não aconteça, ele adiantou que deixará a F1.

“Gastei muito tempo e esforço para ter uma chance e a prioridade seria estar no grid de largada na Austrália. Mas se isso não acontecer, eu consideraria um campeonato diferente ou um papel diferente. Como eu disse, agora estou focado em tentar ter uma chance”, disse ao site Autosport.

Sem competir há seis anos, a falta de ritmo é um dos obstáculos que Kubica tenta provar que já superou. Mas ele fala que sem oportunidades não tem como convencer que pode voltar a correr em alto nível. “Quando você não faz isso por muito tempo ou faz como eu faço a cada três meses, é normal que você tenha de passar por fases diferentes para retomar o ritmo, recuperar os sentimentos da forma mais natural possível. Se você pegasse até o melhor tenista e dissesse para ele: agora você para por seis anos. Mesmo sem ferimentos, nada. Então você dá a ele uma hora de treinamento e o esmaga na final de Wimbledon, ele provavelmente vai lutar mais do que todas as pessoas que estão jogando regularmente. Eu teria tanto tempo no carro, não haveria mais pontos de interrogação sobre mim”, comparou.

Comentários