Kid Vinil morre em São Paulo aos 62 anos

G1/JP

Kid Vinil posa em sua casa em São Paulo, em setembro de 2016 (Foto: Alessandra Gerzoschkowitz/EGO)

O cantor e radialista Kid Vinil morreu na tarde desta sexta-feira (19) em São Paulo, depois de passar mais de um mês internado. Ele passou mal depois de um show em Conselheiro Lafaiete, na Região Central de Minas Gerais, e foi levado a um centro médico daquela cidade.

Depois, foi transferido de helicóptero para o Hospital da Luz, na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo. Em seguida, foi para o Hospital TotalCor, onde morreu. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do TotalCor.

Kid Vinil era diabético e sofreu uma parada cardíaca no dia 16 de abril. Ele chegou a ser colocado em coma induzido.

Antes de passar mal, Kid Vinil participava de um projeto com outros cantores dos anos 1980, como Kiko Zambianchi e Ritchie, em um clube de Conselheiro Lafaiete. Nos últimos dias, amigos afirmaram nas redes sociais que o quadro do cantor tinha se agravado e pediram orações por sua recuperação.

Hits nos anos 80

Antônio Carlos Senefonte nasceu em Cedral, no interior de São Paulo. Com o apelido Kid Vinil, ele se destacou com trabalhos como cantor, radialista, jornalista, VJ e DJ.

Kid ganhou fama no cenário do rock nacional nos anos 80 com a banda Magazine, anteriormente chamada de Verminose. Ted Gaz, Lu Stopa e Trinkão completavam a banda.

O grupo lançou hits como “Tic Tic Nervoso”, “Sou Boy” e “A Gata Comeu”. O Magazine encerrou suas atividades definitivamente em 2004. Kid saiu e retornou para a banda várias vezes, sempre com projetos musicais paralelos.

Em uma dessas idas e vindas, criou o projeto Kid Vinil e os Heróis do Brasil. Retornou pela última vez ao Magazine em 1998. Ainda na parte musical, ele se dedicou ao projeto Kid Vinil Xperience, em 2005. Seu último trabalho, o EP Kid Vinil Xperience, foi lançado em 2014.

MTV e TV Cultura

Kid também teve projetos voltados para a TV. Em 1987, o cantor participou do programa “Boca Livre”, e, de 1989 a 1993, apresentou o “Som Pop”, ambos da TV Cultura. Ainda nos anos 1990, tornou-se VJ da MTV, onde trabalhou de 1999 a 2001. Entre os programas que participou na emissora estava o “Lado B”, voltado para o universo da música alternativa.

Em 2008, lançou o livro “Almanaque do Rock”, que contava um pouco da trajetória do rock desde os anos 1950. Tinha planos de mais uma produção literária.

DJ e radialista

No último anos, atuou com DJ em festas por todo o Brasil, trabalho que desenvolve desde a década de 1980, além de comandar um programa semanal na Rádio Rock 89FM (SP), desde 2015.

Também em 2015, teve sua história contada na biografia “Kid Vinil: um herói do Brasil”, escrita pelo jornalista Ricardo Gozzi e pelo guitarrista e produtor musical Duca Belintani.

Kid morreu aos 62 anos, após passar mal durante um show em Conselheiro Lafaiete (MG).

Comentários