Karl Max é preso por tráfico de drogas

Ele era investigado por traficar drogas em academias de ginástica na Zona Sul do Rio

Rio – O nome remete ao do grande profeta do comunismo, mas foi a ganância que levou Karl Max Azevedo Wiborg, de 23 anos, a largar a faculdade de Pedagogia, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) para se dedicar à venda de anabolizantes, termogênicos, comprimidos para impotência sexual e drogas sintéticas, como o LSD. Acusado de tráfico de drogas e crime contra a saúde pública, o jovem foi preso nesta terça-feira por policiais da Delegacia de Combate às Drogas (Dcod), em posse de R$ 60 mil em produtos proibidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Karl Max foi preso com drogas por policais da DCOD com drogas, estimulante sexual , suplementos alimentares e anabolizantes Foto:  Divulgação
Karl Max foi preso com drogas por policais da DCOD com drogas, estimulante sexual , suplementos alimentares e anabolizantes
Foto: Divulgação

Após 30 dias de investigação, o rapaz foi localizado em um apartamento na Rua do Rocha, no bairro do mesmo nome, na Zona Norte. Morador do Flamengo, ele usava o endereço do subúrbio para guardar os entorpecentes. No imóvel em que vivia com a família, na Rua Senador Vergueiro, os agentes da Dcod aprenderam mais substâncias proibidas, além de vários comprovantes de depósitos de valores altos que serão investigados.
“Apreendemos diversos boletos com movimentações bancárias e vamos continuar investigando”, afirmou o delegado Antenor Lopes, da Dcod.

VENDA PELA INTERNET

O responsável pela especializada afirmou que o rapaz utilizava as redes sociais para revender os produtos importados. “Ele está sendo investigado há um mês por traficar substâncias proibidas em academias de ginásticas da Zona Sul”, explicou o policial, afirmando que a mãe do jovem, que é arquiteta, ficou chocada e contou que nunca suspeitou da conduta do filho. “Para ela, o jovem atuava como microempresário de suplementos alimentares”, ressaltou Lopes. Caso condenado pelos delitos, Karl Max pode ficar até 15 anos na cadeia.
Na sua página no Facebook, o tino mercantilista do rapaz ficava claro. Suplementos importados eram anunciados livremente, com direito a promoções e combos. Para quem o contatava em conversas reservadas, era fornecida uma planilha de preços de anabolizantes.
De rapaz ‘marombeiro’ e vaidoso, vendedor de lojas de shopping centers, a um dos principais distribuidores de esteróides anabolizantes da Zona Sul e Grande Tijuca, de acordo com testemunhas, foram apenas quatro anos. Em 2010, ele teria conhecido um contrabandista pela Internet e topou fazer o ‘meio de campo’ em academias cariocas, durante o verão.

Comentários

comentários