‘Justiceiros da Fronteira’ deixam três mortos e 3 feridos no fim de semana

Ataque de supostos integrantes do grupo autodenominado “Justiceiros da Fronteira” deixa três feridos e três mortos durante o final de semana na fronteira.

Foto: Porã News
Foto: Porã News

O primeiro ataque dos“Justiceiros da Fronteira” aconteceu na sexta feira (04) por volta da meia noite foram atacadas a tiros três pessoas identificadas como, Diego Fernando Bogado Aguero (24) com ordem de captura, Rodrigo Garcia Diaz (22) e o adolescente M.O.S. (17)> Eles estavam sentados em frente a uma residência no bairro Obrero da cidade de Pedro Juan Caballero, foram atacados a tiros de fuzil 7.62 e pistola 9mm.

As vítimas foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros e encaminhadas ao Hospital Regional local, onde não correm risco de morte.

bil

No sábado (5), por volta das 14h, restos do corpo de um homem queimado foi encontrado em um caminho vicinal, na Colônia Potrero Sul, próximo a cidade paraguaia de Zanja Pytã, aproximadamente 1 km de Sanga Puitã (MS).

O homem, que estava com os pés e mãos amarrados, ainda não foi identificado. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico legal (IML) da cidade paraguaia e aguarda reconhecimento. Conforme agentes da Polícia Nacional de Pedro Juan Caballero não está descartada a hipótese de a vítima ser de nacionalidade brasileira.

 

Já na manhã de domingo, por volta das 7h30min, agentes da Polícia Nacional Paraguaia foram acionados para atender ocorrência de mais dois corpos encontrados próximos a divisa entre Brasil e Paraguai, em uma localidade denominada Vila Industrial, bairro de Pedro Juan Caballero.

Identificados como Matias Ariel Riveros Romero, de 39 anos e Wilson Ariel Romero Silva, de 14, os dois foram sequestrados na noite de ontem (5) e supostamente executados no local onde os corpos foram encontrados.

Eles estavam com pés e mãos amarradas e com vários disparos de arma de fogo. Ambos contavam com diversas passagens pela polícia.

No local foi encontrado ainda uma carta dos supostos “Justiceiros da Fronteira”, onde estava escrito que “os assassinatos são um aviso para quem tira a paz dos moradores da fronteira”. Até o momento nenhum suspeito foi identificado pela polícia.

Comentários

comentários