Justiça manda soltar todos investigados na Lama Asfáltica

O desembargador Claudionor Abss Duarte, plantonista deste sábado (14), determinou, há pouco, a soltura de Edson Giroto e mais oito pessoas detidas na terça-feira (10) por força-tarefa que investiga denúncia de irregularidades em obras da rodovia MS-228, em Corumbá. Na decisão, o desembargador também revogou as prisões de outros dois engenheiros, João Afif Jorge e Donizete Rodrigues, a ordem para prendê-los saiu na tarde de ontem.
Todos devem deixar à sede do Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros.

14gir
Ex-deputado federal e ex-secretário de Obras do Estado, Edson Giroto (PR) – Divulgação

São eles: o ex-deputado Edson Giroto,a ex-presidente da Agesul, Maria Wilma Casanova Rosa, os engenheiros João Afif Jorge, Wilson Tavares, Átila Garcia Gomes Tiago de Souza, Maxwell Thomé Gomez, Rômulo Tadeu Menossi; o empresário da Proteco João Alberto Krampe Amorim dos Santos; a secretária e sócia da Proteco Elza Cristina Araujo dos Santos, que cumpria prisão domiciliar por ter gravidez de risco e o ex-deputado estadual Wilson Roberto Mariano de Oliveira, o Beto Mariano

Todos devem passar o restante do sábado e amanhã (15) em casa, já que uma nova decisão só será tomada pela Justiça na segunda-feira.

DENÚNCIA

Segundo o MP, denúncia que motivou ação de força-tarefa contra o ex-secretário de Obras Edson Giroto, o empreiteiro João Amorim, e as demais pessoas teria sido feita pelo atual titular da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Marcelo Miglioli em relação a contrato de R$ 6,8 milhões de recuperação de rodovia. Os prejuízos aos cofres públicos foram de pelo menos R$ 2,9 milhões, conforme o MP.

Comentários

comentários