Justiça Eleitoral: é falso vídeo de urna que “auto completa” voto

Nota do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais esclarece que boatos sobre defeitos nas urnas são falsos

A Justiça Eleitoral esclareceu boatos que circulam nas redes sociais sobre defeitos para registrar voto e um recurso que “auto completa” o voto. As duas informações são falsas.

Eleições: “Não existe a possibilidade de a urna auto completar o voto do eleitor” (José Cruz/Agência Brasil)

Nas redes sociais e em aplicativos de mensagem, como o WhatsApp, circula um vídeo que mostra uma urna eletrônica que sugere o voto no candidato Fernando Haddad (PT) ao apertar o número 1.

Segundo nota publicada pelo Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG), o vídeo não mostra o teclado da urna. “Não existe a possibilidade de a urna auto completar o voto do eleitor, e isso pode ser comprovado pela auditoria de votação paralela”, diz a nota.

Comentários