Justiça Eleitoral barra candidatura do PSOL à prefeitura de Campo Grande

Justiça Eleitoral indeferiu o registro de candidatura da terapeuta ocupacional Rosana Santos (PSOL) à prefeitura de Campo Grande. Decisão do juiz José Henrique Neiva de Carvalho e Silva, da 44ª Zona Eleitoral, foi publicada ontem. O partido informou que vai recorrer.

Rosana Santos durante atividade de campanha na terça-feira (Foto: G1)
Rosana Santos durante atividade de campanha na terça-feira (Foto: G1)

O magistrado acatou Ação de Impugnação de Registro de Candidatura do Ministério Público Eleitoral. O órgão alegou ausência de desincompatibilização de cargo público, ou seja, que a candidata não deixou o cargo público no período exigido pela lei.

A defesa de Rosana Santos afirmou que a terapeuta apenas assinou um contrato de prestação de serviço com a prefeitura, mas não exerceu a função justamente para não prejudicar a candidatura.

Consequentemente, o candidato do PSOL a vice-prefeito, Henrique Nascimento, também teve registro de candidatura indeferido.

Rosana disputava o cargo contra o prefeito Alcides Bernal (PP), que busca à reeleição, Lauro Davi (PROS), Adalton Garcia (PRTB), Alex do PT, Arce (PCO), Aroldo Figueiró (PTN), Athayde (PPS), Coronel David (PSC), Elizeu Amarilha (PSDC), Marcelo Bluma (PV), Marquinhos Trad (PSD), Pedrossian Filho (PMB), Rose Modesto (PSDB) e Suél Ferranti (PSTU).

Caso a impugnação seja mantida, o número de candidaturas a prefeito da capital passa das 15 registradas no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) para 14.

Comentários

comentários