Justiça decreta prisão preventiva de professor suspeito de abusar de aluno de cinco anos

O juiz Carlos Alberto Garcete decretou a prisão preventiva (sem prazo definido) do acadêmico de educação física, de 29 anos, preso em flagrante, nesta quarta-feira (21), sob a suspeita de abuso sexual contra aluno, de cinco anos. O crime teria ocorrido na Escola Municipal Professora Maria Tereza Rodrigues,que fica no Bairro Santa Emília, em Campo Grande.

22escola

O magistrado entendeu que deve ser mantida a prisão cautelar do professor, que foi detido em flagrante, diante da gravidade do fato e da recentidade, o que caracteriza ordem pública. “No mais, não constam outros elementos para análise de possível concessão de liberdade provisória ao autuado. Ante o exposto, converto a prisão em flagrante do autuado, qualificado nos autos, em preventiva, nos moldes do artigo 312 do Código de Processo Penal”,

CASO

Segundo a Polícia Militar, a mãe da vítima disse que o filho confessou a ela a violência sexual depois chegar da escola com comportamento estranho. A mulher relatou que o menino estava calado, diferente do costume. Questionado sobre o que havia acontecido, revelou que um professor havia passado a mão em suas partes íntimas, no banheiro da escola.

Revoltada com a acusação, a mãe chamou policiais que detiveram o professor e ele foi encaminhado à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) da Vila Piratininga, onde o caso foi registrado, mas é investigado na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

Em interrogatório, ao delegado plantonista Enilton Zalla, o educador negou o fato, sustentando que havia, apenas, repreendido o aluno porque ele não parava de subir em carteiras durante a aula.

Na unidade policial, a criança manteve a mesma versão relatada à mãe e o professor acabou preso em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável.

Após os depoimentos, o acusado foi encaminhado ao Presídio de Segurança Máxima de Campo Grande.

Comentários

comentários