Justiça da Itália nega recurso e Pizzolato deve ser extraditado para o Brasil

Governo italiano deverá fixar uma data para que Pizzolato seja extraditado Foto:  Agência Brasil
Governo italiano deverá fixar uma data para que Pizzolato seja extraditado
Foto: Agência Brasil

Ex-diretor do BB, Henrique Pizzolato foi condenado no processo do mensalão e pode recorrer ao Conselho de Estado 

tália – O ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato teve seu recurso negado pelo Tribunal Administrativo Regional (TAR) do Lácio, em Roma, e deve ser extraditado para o Brasil. A sessão ocorreu na manhã desta quinta-feira.

Pizzolato, que havia entrado com o recurso em maio, pode recorrer ao Conselho de Estado, última instância da Justiça Administrativa italiana. Com a decisão desta manhã, o Brasil tem 20 dias para retirar o condenado do mensalão da Itália. O ex-diretor pegou 12 anos e sete meses por correupção passive, peculato e lavagem de dinheiro.

O caso

No dia 24 de abril, o ministro Andrea Orlando deu um parecer favorável à extradição do ex-diretor do Banco do Brasil.

Pizzolato, que possui também cidadania italiana, foi condenado a 12 anos e sete meses de prisão no processo do Mensalão, mas fugiu para a Itália com um passaporte falso. Ele acabou sendo detido em fevereiro de 2014, em Maranello, por portar os documentos de seu irmão, que havia falecido em 1978.

A decisão de Orlando veio de encontro com o veredicto da Corte de Cassação de Roma, em fevereiro, que reverteu uma decisão do Tribunal de Bolonha e autorizou a extradição. Na primeira sentença, a vinda do ex-diretor ao país tinha sido negada sob argumento de que os presídios nacionais não têm condições de manter a integridade física de Pizzolato.

AGÊNCIA BRASIL

Comentários

comentários