Justiça aceita denúncia contra todos os envolvidos em exploração sexual

A denúncia de exploração sexual envolvendo políticos foi aceita pela Justiça no dia 4 de maio, mas divulgada nesta segunda-feira (11). Dois ex-vereadores e um ex-deputado estadual de Mato Grosso do Sul agora são réus. Além deles, Fabiano Otero, considerado o “cabeça” do esquema, conseguiu a delação premiada no dia 29 de abril e um empresário também foram indiciados.

Políticos, empresário e comerciante agora são processados pela Justiça Foto Reprodução TV Morena
Políticos, empresário e comerciante agora são processados pela Justiça Foto Reprodução TV Morena

O processo corre em segredo de justiça, desde o dia 30 de abril, para preservar as adolescentes envolvidas, conforme os termos do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). A fase seguinte é a citação dos réus e abertura de prazo para apresentação da defesa.

Segundo o MPE-MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), foram constatados indícios dos crimes de exploração sexual, extorsão, corrupção de menores, tráfico de menor de idade para fins de exploração sexual, posse de material pornográfico de adolescentes, prática de sexo com menor em relação de prostituição e associação criminosa com participação de menores.

Além de Otero, os ex-vereadores Alceu Bueno (PSL) – renunciou ao mandato no dia 28 de abril deste ano – e Robson Martins, o ex-deputado estadual Sérgio Assis, o empresário Luciano Pageu foram indiciados por exploração sexual de adolescentes.

Luciano Pageu, Robson Martins e Fabiano Otero também respondem por extorsão. Os três estão presos. Os dois primeiros foram autuados em flagrante no dia 16 de abril quando recebiam dinheiro de Bueno e o último foi encontrado na casa da mãe no dia 26.

As investigações complementares estão sendo realizadas pelo MP-MS, Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) e Polícia Civil.

Comentários

comentários