Juiz diz que pagamento dos funcionários da Omep e Seleta é “briga perdida”

Em entrevista a TV Morena, na manhã desta segunda-feira (19), o juiz David de Oliveira Gomes Filho, do do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), que determinou a suspensão dos contratos da Omep (Organização Mundial para Educação Pré-Escolar) e da Seleta Sociedade Caritativa Humanitária com a prefeitura de Campo Grande, desmentiu a afirmação do prefeito Alcides Bernal (PP) de que o Executivo Municipal poderia depositar o salário dos terceirizados na conta bancária pessoal.

Trabalhadores fecharam algumas ruas do centro da cidade no último sábado

 

Para o juiz, a situação que se arrasta na Justiça há pelo menos cinco anos era “tragédia anunciada” e faltou do poder público atitude para substituir os terceirizados gradualmente por concursados. Situação que nunca aconteceu.

“É uma crueldade o que estão fazendo com 4 mil trabalhadores honestos que estão prestando sua função, e sendo iludidos que vão permanecer nesse cargo. Estão vivendo um inferno. É uma briga perdida porque não fizeram concurso para ocupar essa vaga”, afirmou o juiz.

David ressaltou que a prefeitura tem todo direito de recorrer da decisão, no entanto comparou a atitude a de um paciente em estado terminal. “Se houver recurso, você vai ter um paciente na mesa de cirurgia com peito aberto para curar o câncer, vai dar alta, mas depois vai ter que voltar para fazer a cirurgia”, comemntou o juiz.

“Casos os trabalhadores não recebam seus salários, que consta atrasado desde novembro na ação, eles podem buscar a Justiça do Trabalho e querer seus direitos”, completou.

Novo Protesto

Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional no Estado de Mato Grosso do Sul (Senalba-MS) prepara para essa manhã protesto no Centro da Capital.

Os trabalhadores demitidos devem se reunir às 8 horas na Praça do Rádio Clube e depois seguirão em marcha pelas ruas do Centro. O objetivo do ato, segundo o sindicato, é cobrar que direitos trabalhistas sejam pagos.

Todos os Ceinfs, Centros de Referência de Assistência Social (Cras), Centro de Convivência do Idoso (CCI) e centros de múltiplo uso estão fechados e não há previsão de que o serviço seja retomado ainda esse ano.

Comentários