Jovens presos mostram que interior de MS já faz ‘contabilidade’ e hierarquia no tráfico

Lúcio Borges

A polícia revelou hoje (7), um até “sofisticado” esquema do trafico na pequena cidade de Anaurilândia, região leste de Mato Grosso do Sul, na microrregião de Nova Andradina, pela divisa com Paraná/São Paulo. O caso mostra que trafico de drogas e ou violências, por consequência do mesmo ou outras causas, estão fazendo “as cidades do interior já não serem mais as mesmas”. O ditado se aplica ainda mais a alguns municípios de MS, que, quando “pensamos, se imagina um povoado pacato”, mas a realidade está sendo outra, por noticiarmos muita violência contra a mulher e sobre o comercio de entorpecentes.

A polícia local, a 366 quilômetros de Campo Grande, prendeu nesta sexta-feira (7), quatro jovens por tráfico de drogas. O quarteto tinha pés de maconha sendo cultivado e a estrutura até com anotações sobre contabilidade e hierarquia para a compra e venda da droga. No local encontraram Rony Saude de Souza, 20 anos; Johnatan Rodrigues, 21 anos; Eduardo Alencar da Rocha Oliveira, 20 anos; e Sidivaldo de Souza Ferreira, de 19 anos.

A ação policial não foi exatamente pelo que já relatamos, mas por volta das 6h30 desta sexta-feira, os policiais foram até a residência para o cumprimento de mandados de busca e apreensão. Ao chegar ao local, já no quintal da residência, encontraram os pés de maconha e no interior do imóvel um caderno com anotações com dados e números do ‘comercio’, onde se viu uma hierarquia no sistema feito pelo grupo, tanto para compra, quanto para a venda dos entorpecentes.

A chegada na casa, então se descobriu um “centro do trafico”, pela documentação apreendida e onde os jovens também faziam apologias a facções criminosas, pois também foram localizados produtos, desenhos e ‘documentos’ com relação aos grupos criminosos existentes.

Todos foram levados para a delegacia de polícia e autuados por tráfico de drogas.
Modelo já ‘meio comum’
A polícia comentou que “as cidades do interior já não serem mais as mesmas”, pois o modo de operação já não é tão raro pelos municípios do interior. Devido a movimentação do crime, opções conhecidas pessoalmente ou que chegam nos locais e até pela internet.
“O trafico realmente não tem mais fronteiras e já chegou ou está muito próximo de todas as cidades”, diz direção da PM em MS.

Comentários