José Aldo aposta em Dos Anjos contra McGregor e descarta encarar brasileiro

O irlandês Conor McGregor deu mais uma declaração polêmica nesta sexta-feira. O falastrão, além de enfatizar que vai vencer Rafael dos Anjos pelo cinturão dos leves do UFC, no dia 05 de março, em Las Vegas, disse também que prevê uma superluta entre o brasileiro e o compatriota José Aldo, ex-campeão dos penas e último adversário de McGregor na franquia. Nas palavras dele: ”Vou criar uma guerra civil”.

Rafael dos Anjos e Conor McGregor em encarada para o UFC 197 (Foto: Getty Images)
Rafael dos Anjos e Conor McGregor em encarada para o UFC 197 (Foto: Getty Images)

Questionado sobre a afirmação do algoz, Aldo tratou de descartar a superluta com o brasileiro. E o ”Scarface” ainda disse mais. Em Manaus para divulgar um amistoso beneficente que vai ocorrer na Arena da Amazônia, no dia 27 de fevereiro, o manauara apostou em uma vitória do carioca sobre o desafiante.

– Não sei (da declaração). Não sei se você acompanha, mas eu não leio muito internet. Pelo menos o que falam. Acho que não tem possibilidade nenhuma de a gente fazer essa luta com o Rafael dos Anjos. É um cara que eu tenho um carinho muito grande. Mas tudo depende da organização. Quem manda são eles. Mas eu tenho certeza que o Rafael vai vencer a luta contra ele (McGregor) – disse o lutador amazonense.

O atleta da Nova União ainda não conseguiu engolir a rejeição do UFC que não concedeu uma revanche imediata contra o atual campeão.

– Todos os campeões sempre que tiveram a derrota tiveram uma revanche imediata. Então a gente está lutando e só aceita se for assim (pelo cinturão), porque a gente está no nosso direito – ressaltou.

Inclusive, ao ser perguntado se houve um descaso da franquia com sua história no evento, ele preferiu não polemizar e fugiu pela tangente.

– Deixa eu fazer uma foto aqui (com o público) – finalizou, não respondendo a pergunta.

Em conversa com o GloboEsporte.com, Aldo mencionou ainda o que passou na sua cabeça quando ele foi flagrado no vestiário após o nocaute sofrido em 13 segundos. O lutador também comentou sobre as qualidades de Rafael dos Anjos e que não fará nenhuma outra luta senão pelo cinturão dos penas. 

Confira os principais tópicos da entrevista abaixo

No momento em que você foi flagrado no vestiário, após perder a luta, o que você pensava? Algum momento você chegou a pensar em sair do MMA?

– P***, não tem como irmão (como parar). Não tem como. Acho que quem perdeu sabe o que passa pela cabeça. Uma derrota é sempre um sabor amargo. Lógico que você se prepara, você dá tudo na academia e chega lá e não sai o resultado que você quis. Então foi uma frustração muito grande pelo lado da derrota.

Qual vai ser seu próximo passo na franquia?

– A gente já tem conversado.  Primeiramente foi prometido que a gente ia fazer uma luta pelo cinturão com Frankie Edgard, e não sei se isso vai acontecer ou não. Mas pode ter certeza que eu vou lutar pelo cinturão. Ou uma revanche ou uma luta direta. Porque não aceito outro luta senão essa.

Pode-se dizer que a luta do Conor contra o Rafael dos Anjos por um lado é bom para você, já que o cinturão da categoria fica vago? Ou é ruim, já que você não vai ter essa revanche?

– Não tem cinturão vago, não tem nada disso. Cara, o Rafael é o Rafael. Ele está na categoria dele, tem os méritos dele. Então não posso falar qualquer coisa do tipo, pelo fato de que é o Rafael. Então é o momento dele, é o surfe dele. Ele tem que surfar a onda dele. E eu estou na minha categoria, na minha trajetória, na minha carreira. Independentemente do que aconteça, sei sempre que a minha próxima luta vai ser sempre pelo cinturão.

Você acha que é mais difícil de ganhar de atletas mais falastrões atualmente?

– Acho que não. Acho que tudo depende. Ali a luta, a derrota, foi um golpe que ele conseguiu. Acertou um bom golpe, mérito dele. Mas eu tenho certeza que a próxima luta que eu fizer, não importa quem seja, a gente vai sair vitorioso. (globo.com)

Comentários

comentários