João Rocha e Carlão não veem motivos para pedido de afastamento

O vereador Carlão (PSB), declarou que “não acredita que possa ser punido por um ‘crime imaginário’ e que nenhum magistrado aprovará um afastamento sem consultar os autos do processo”, referindo-se ao relatório da Comissão Processante que cassou o mandato de Alcides Bernal (PP) em 2014.

João Rocha mostra uma 'lista de tópicos' de notícias divulgadas pela imprensa, sobre um processo que corre em segredo de justiça Foto Silvio Ferreira
João Rocha mostra uma ‘lista de tópicos’ de notícias divulgadas pela imprensa, sobre um processo que corre em segredo de justiça Foto Silvio Ferreira

Já o vereador Professor João Rocha, presidente de duas comissões da Casa – a Comissão Processante que analisa se houve quebra de decoro pelo prefeito afastado Gilmar Olarte (PP), que responde processo criminal por lavagem de dinheiro e corrupção passiva, no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS); e da Comissão Permanente de Ética da Casa, chegou a apresentar uma ‘lista de tópicos’ de notícias divulgadas pela imprensa, sobre um processo que supostamente corre em segredo de justiça, enquanto as comissões da Casa ficam sabendo desses fatos pela imprensa”, questionou. 

“Não podemos permitir que se instale o caos em Campo Grande”, e “à luz dos fatos, não se pode ignorar à cronologia dos eventos que exigiram que os integrantes dessa Casa, agissem cumprindo sua obrigação de fiscalizar.” 

Silvio Ferreira

Comentários

comentários