Japonês se torna 1º bicampeão olímpico de patinação artística em 66 anos

Kyodo News/Globo Esporte

Com apenas 22 anos, Hanyu ainda quebrou o recorde olímpico da categoria, com 317.85 pontos

O japonês Yuzuru Hanyu fez a segunda melhor nota do programa livre na modalidade individual masculina de patinação artística realizada neste sábado, com 206.17 pontos, o que lhe valeu a conquista do bicampeonato nos Jogos Olímpicos de Inverno 2018, que estão acontecendo na Coreia do Sul.

Na soma total da competição, o jovem patinador, de 22 anos, quebrou o recorde olímpico da categoria ao totalizar 317.85 pontos.

Com o intento, Hanyu se tornou o primeiro patinador a ser bicampeão olímpico na modalidade individual masculino desde 1952. Além disso, é também o primeiro patinador japonês bicampeão na categoria em olimpíadas.

A medalha de prata ficou com o também japonês Shoma Uno, que surpreendeu ao apresentar uma excelente performance técnica – a melhor do dia. Já o bronze ficou com o espanhol Javier Hernandez.

A competição
Na madrugada deste sábado (pelo horário de Brasília), os patinadores realizaram as apresentações do programa livre – eles apresentaram o programa curto na sexta, classificatório para esta fase.

Reprofução

Nono a se apresentar no dia, o americano Nathan Chen quebrou o recorde olímpico da modalidade ao anotar 215,08 pontos em sua apresentação. Apesar de ter ido mal no programa curto – terminando na 17ª colocação – o competidor dos Estados Unidos permaneceu na liderança da patinação artística durante 2/3 da prova.

Mas foi apenas começar o terceiro e último pelotão de atletas para que Chen caísse no ranking final – que soma as duas modalidades.

Ficando em quarto lugar no curto, o chinês Jin Boyang fez a quinta melhor nota do dia, com 194,45 pontos, e assumiu a liderança, o que não durou muito tempo.

Após uma performance abaixo do esperado do canadense Patrick Chan, o japonês Yuzuru Hanyu entrou em ação. Melhor no dia anterior, o jovem japonês fez outra grande apresentação, foi exaltado pela torcida e voltou a ser premiado com a liderança da modalidade e vários bichos de pelúcia da plateia atirados na pista.

Depois Hanyu, restavam apenas outros dois patinadores, justamente os outros dois medalhistas. O espanhol Javier Hernandez resolveu entrar na festa. Bicampeão mundial, ele anotou a quarta melhor nota do dia, com 197.66 pontos, se garantindo como o primeiro medalhista de seu país na história do esporte.

Mas o melhor ficou para o fim: o também nipônico Shoma Uno anotou a melhor nota técnica do dia com 109,47, mas terminou na segunda posição com o somatório dos dois dias de competição.

Comentários