‘Janela partidária’ deve provocar debandada de candidatos em MS

A promulgação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 113/2015, prevista para o próximo dia 18, deverá provocar uma debandada de candidatos detentores de cargos eletivos que desejam disputar as eleições municipais de outubro em Mato Grosso do Sul.

Marquinhos Trad deve deixar o PMDB (Foto: Divulgação )
Marquinhos Trad deve deixar o PMDB (Foto: Divulgação )

A emenda se aprovada, impede que um partido exija na Justiça Eleitoral a substituição no cargo majoritário de um político que deixou o partido por outro ainda filiado à legenda.

Com algumas exceções, essa possibilidade existirá apenas para cargos do sistema proporcional – vereadores e deputados estaduais e federais.

A promulgação da chamada “janela partidária” está sendo aguardada com expectativa principalmente por deputados e vereadores que estão de olho nas prefeituras tanto em Campo Grande quanto no interior do Estado.

De acordo com o texto aprovado no Senado em 9 de dezembro, os detentores de mandatos eletivos poderão deixar as legendas pelas quais foram eleitos nos 30 dias seguintes à promulgação da emenda.

A desfiliação não será considerada para fins de distribuição do dinheiro do Fundo Partidário e do acesso gratuito ao tempo de rádio e televisão. Com essa mudança na Constituição será possível minimizar a fragmentação política.

Com a ‘janela!, o deputado estadual Marquinhos Trad (PMDBdeve ir para o PSD e Márcio Fernandes (PTdoB) deve seguir para o PMDB. Os deputados Maurício Picarelli (PMDB) e Barbosinha (PSB) são nehum dos dois confirma. Picarelli diz que não há conversa e Barbosinha confirma convite, mas diz que só vai para ser candidato a prefeito de Dourados pelo PSDB.

Já o deputado estadual Beto Pereira (PDT), alegando perseguição partidáira migrou para o PSDB no últmo dia 25 de janeiro.

Entre os vereadores os comentários são mais contidos. Eduardo Cury (PTdoB) é um dos poucos que admite a vontade de trocar de sigla, mas ainda não definiu se muda e nem para qual partido.

O vereador Paulo Siufi (PMDB) também tinha anunciado interesse de mudar, mas até agora não se manifestou. Ele tem esperança de ser candidato do partido a prefeito de Campo Grande. O vereador José Chadid, hoje sem partido, se filiará ao PSDB. Também há expectativa da filiação de Herculano Borges (SD) ao PSDB. Mas isso depende da saída de um dos deputados da Assembleia. Ele é primeiro suplente e deve receber convite para trocar de partido e assumir a função.

Comentários

comentários