Guarda Costeira italiana resgata mais de 6 mil migrantes no Mar Mediterrâneo

Itália resgatou mais de 6 mil migrantes no Mediterrâneo (Foto: Aris Messinis/Reprodução)
Itália resgatou mais de 6 mil migrantes no Mediterrâneo (Foto: Aris Messinis/Reprodução)

Pouco mais de 6 mil refugiados que estavam em 32 botes, cinco barcos e duas balsas, foram resgatados nesta segunda-feira (3), no Mar Mediterrâneo, por equipes da Guarda Costeira Italiana. Os migrantes estavam a uma distância de 80 quilômetros de Trípoli, capital da Líbia.

A guarda costeira utilizou três navios, e a Marinha Italiana dois, além de outros das missões europeias de fronteira Eunavformed e Frontex. Outars embarcações de muitas organizações também estiveram envolvidas nas buscas. Nove corpos foram encontrados.

Em entrevista dada ao The Washington Post, oficiais da Guarda Costeira Italiana disseram que o resgate foi feito ontem (3) porque foi o primeiro dia de mar tranquilo em uma semana, já que as fortes ondas do Mar Mediterrâneo diminuíram o trânsito de migrantes.

Este resgate é um dos maiores desde o início da crise migratória, acontece no dia em que os italianos lembraram dois anos da tragédia que ficou conhecida como “desastre de Lampedusa”, nela 366 migrantes morreram em um naufrágio ao tentarem chegar à ilha italiana.

A tragédia iniciou à operação Mare Nostrum, um dispositivo de patrulha italiano posicionado no Canal da Sicília para prestar socorro às embarcações improvisadas lotadas de imigrantes e tentar evitar futuros acidentes trágicos.

Com o acordo entre a União Europeia (UE) e a Turquia que visa cessar o fluxo de migrantes do país para a Europa, os refugiados buscam rotas alternativas, partindo em números cada vez maiores do norte da África, através do Mediterrâneo, rumo à Europa.

Mais de 12 mil pessoas chegaram à Europa por meio dessa rota entre janeiro e setembro de 2016, comparado a 7 mil registrados no mesmo período do ano passado.

Comentários

comentários