Itália cobre estátuas nuas de Museus Capitolinos em visita de líder iraniano

As estátuas com nudez, como as Vênus da época romana, que estavam no percurso feito na segunda-feira (25) pelo presidente do Irã, Hassan Rohani, durante sua visita aos Museus Capitolinos de Roma, foram cobertas por respeito ao líder, informou nesta terça-feira a imprensa italiana.

As imagens de tapumes brancos cobrindo as estátuas do museu estão hoje nos jornais locais e provocaram alguma polêmica entre os políticos.

Segundo o jornal “Il Messaggero”, a delegação iraniana pediu que as Vênus desnudas e outras estátuas fossem cobertas por respeito a sua cultura, assim como também pediram uma mudança na “cenografia” da sala dos Museus Capitolinos, onde Rohani e o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, falaram com a imprensa após sua reunião.

Segundo este jornal de Roma, a comitiva iraniana não gostaria que aparecesse a enorme escultura equestre em bronze de Marco Aurélio, a grande joia dos Museus.

A decisão de ocultar as estátuas foi criticada por alguns políticos, como o líder da Liga Norte, que qualificou de “coisas de loucos” cobrir parte da história da arte italiana.

“Cobrir as estátuas dos Museus Capitolinos para a visita de Rohani é uma prova de muita atenção que não pode ser compartilhada. O respeito a outras culturas não pode e não deve representar a negação da nossa”, declarou Luca Squeri, deputado do Forza Itália.

Os jornais italianos também destacaram que também não foi servido vinho durante o jantar que a Itália ofereceu à delegação iraniana.

italy-iran_fran

Rohani visitou na segunda-feira a área arqueológica dos Foros imperiais e uma parte dos Museus Capitolinos, e amanhã entrará no Coliseu, acompanhado do ministro de Cultura da Itália, Dario Franceschini.

Comentários

comentários