Itália bate os EUA no vôlei masculino, vai à final e pode pegar Brasil

Foi equilibrado, no detalhe e com emoção até o fim. Mas o apoio que veio das arquibancadas fez a diferença. Contando com a torcida brasileira no Maracanãzinho, a Itália venceu os Estados Unidos por 3 sets a 2 na tarde desta sexta-feira, parciais de 30/28, 26/28, 9/25, 25/22 e 15/9, e garantiu sua presença na final do vôlei masculino nos Jogos do Rio. Medalha de prata em 1996 e 2004, os italianos vão lutar pelo inédito ouro olímpico.

Partida desta sexta-feira foi marcada por equilíbrio entre as seleções (Foto: Reuters)
Partida desta sexta-feira foi marcada por equilíbrio entre as seleções (Foto: Reuters)

Tirando o quarto set, vencido com facilidade pelos americanos, o jogo foi muito equilibrado. Zaytsev, Lanza e Juantorena, com 21, 16 e 14 pontos, respectivamente, foram os grandes destaques da Itália. O adversário na decisão sairá da outra semifinal: Brasil ou Rússia, que se enfrentam à noite, também no Maracanãzinho.

Na fase de classificação, os italianos já venceram o Brasil por 3 sets a 1. A final e a disputa pela medalha de bronze – entre Estados Unidos e o perdedor da segunda semifinal – serão realizadas no próximo domingo.

O JOGO

O primeiro set mostrou bem o alto nível das equipes. Os Estados Unidos começaram melhor e chegaram a ter uma vantagem de sete pontos quando o placar marcava 15 a 8. Mas os italianos em momento algum desistiram. E a reação incrível começou quando Zaytsev entrou de vez no jogo.

Com 23 a 19 no placar, a Itália conseguiu quatro pontos seguidos e empatou a partida. Foi quando o Maracanãzinho deixou clara a sua torcida pelos europeus. Ainda foi preciso salvar cinco set points, e, quando tiveram sua primeira chance, os italianos não desperdiçaram: Birarelli fez dois aces seguidos e fechou o set em 30 a 28.

Siga o roteiro do primeiro set e inverta os papéis. Foi o que aconteceu no segundo. A Itália não chegou a ter uma grande vantagem, mas abriu três pontos e foi administrando: 17 a 14, 19 a 16, 21 a 18… Aí veio a reação americana com o empate em 22 a 22. Equilíbrio, ponto para lá, ponto para cá. Mas dessa vez a torcida dos brasileiros não deu certo. Assim como a Itália usou o saque no primeiro set para fechar, Anderson acertou um ace, marcou 28 a 26 e empatou o jogo.

O ponto fora da curva em uma partida tão equilibrada foi o terceiro set. Explorando muito bem o bloqueio e aproveitando uma série de erros dois italianos, os Estados Unidos conseguiram uma impressionante marca de 11 pontos seguidos e abriram 18 a 4 no placar.

Aí bastou esperar o tempo passar para confirmar o 2 a 1 com impressionantes 25 a 9. Mas de nada adiantaria a grande atuação individual de Matthew Anderson, maior pontuador do jogo com 25 pontos, ou a bela exibição dos americanos no bloqueio com 16 pontos no quesito – contra só sete do rival.

O equilíbrio voltou a dar as caras no quarto set. A cada ponto italiano, festa na arquibancada. A cada ponto americano, gritos de USA, que eram logo abafados. Seguiu assim até 18 a 18, quando os Estados Unidos abriram três de vantagem. Era só virar as bolas para fechar o jogo. Mas o apagão do primeiro set se repetiu.

Depois de chegarem a 22 a 19, os americanos estacionaram no placar. E viram a Itália fazer seis pontos seguidos para empatar o jogo em três aces em sequência de Zaytsev – um deles com a bola tocando a linha por milímetros.

A chance perdida para confirmar a vitória mexeu com os Estados Unidos. Tanto que os italianos começaram o tie-break melhor e conseguiram abrir três pontos. Dessa vez não haveria mais espaços para erros. Nos braços da torcida, os italianos contaram com a sorte em alguns lances, como em uma defesa que voltou para a quadra rival e pegou na linha, e fecharam a partida em 3 sets a 2. Festa em amarelo, verde, branco e vermelho no Maracanãzinho.

Comentários

comentários