Instituto Arara Azul lança 2º edição da Campanha “Adote um Ninho”

Instituto Arara Azul lança 2º edição da Campanha “Adote um Ninho” 

Iniciativa ajudará na manutenção da biodiversidade do Pantanal. Doações podem ser feitas na internet, por meio do link http://www.kickante.com.br/campanhas/instituto-arara-azul-conserve-biodiversidade-do-pantanal

Com o objetivo de dar continuidade ao desenvolvimento das pesquisas e ações de proteção e conservação da arara azul na natureza, o Instituto Arara Azul lança a 2ª Campanha “Adote um Ninho” com uma grande ação coletiva de doações na internet para subsidiar estudos e monitoramento de ninhos no Pantanal. A Organização é reconhecida internacionalmente pelos 25 anos de trabalho do Projeto Arara Azul, liderado pela Dra. Neiva Guedes, professora, pesquisadora da Universidade Uniderp e Presidente do Instituto Arara Azul.

Durante o período reprodutivo, o padrinho acompanhará as novidades do ninho e informações sobre o projeto.
Durante o período reprodutivo, o padrinho acompanhará as novidades do ninho e informações sobre o projeto.

“Queremos repetir o sucesso do ano passado, pois o apadrinhamento proporcionará também a manutenção da biodiversidade do Pantanal, tanto às araras-azuis como várias outras espécies de aves que ocupam as mesmas cavidades”, explica Neiva Guedes.

A edição 2014 colheu resultados significativos, com 45 ninhos apadrinhados por empresas e pessoas físicas, dentre esses vários famosos, como Ziraldo, Michel Teló, Almir Sater e Gabriel Sater, Carlos Saldanha, Chitãozinho e Xororó, Munhoz e Mariano e Luan Santana. Muitos já renovaram suas adoções e novos padrinhos estão aderindo à segunda edição da Campanha. Além do apadrinhamento, no link http://www.kickante.com.br/campanhas/instituto-arara-azul-conserve-biodiversidade-do-pantanal é possível conferir as várias categorias de contribuição para a preservação da arara-azul.

Em 2015, o período de reprodução das araras-azuis já começou. Normalmente inicia-se no segundo semestre de cada ano e se estende até meados de março do ano seguinte. Como resultados dos trabalhos do último ciclo, Neiva compartilha que na região de Miranda – Pantanal há 237 quilômetros da Capital – por exemplo, dos 52 filhotes que nasceram 65% sobreviveram até o último monitoramento, 4% foram predados, 4% foram encontrados mortos dentro do ninho e 26% desapareceram sem vestígios. Por tratar-se de uma espécie frágil, estes números refletem os cuidados e a dedicação da equipe do Projeto Arara Azul”.

Cenário

 A retirada da arara-azul da Lista da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção, divulgada pelo Ministério do Meio Ambiente em dezembro de 2014, foi considerada uma grande conquista dos resultados do Projeto Arara Azul, nesses anos de atuação. Mas ainda assim a espécie é citada na lista vermelha das espécies ameaçadas (Red List of Threatened Species) da União Internacional pela Conservação da Natureza (IUCN – International Union for Conservation of Nature).

Outro fato que norteia os trabalhos do Instituto Arara Azul corresponde ao comportamento das araras-azuis no Pantanal Sul. As aves são bastante seletivas, 95% de seus ninhos são encontrados somente na árvore de manduvi. Considerando que há uma tendência à diminuição de ninhos naturais, pois essa espécie arbórea sofre desgaste do tempo, a ave torna-se dependente de novos ninhos, por isso, ações de conservação e preservação de plantas jovens estão sendo desenvolvidas com proprietários de áreas rurais, mas como medida de curto e médio prazo, cavidades artificiais estão sendo instaladas. Atualmente são monitorados de 120 a 150 ninhos por ano, em 450 mil hectares no Pantanal Sul, nas regiões de Aquidauana, Miranda, Rochedo, Rio Negro e Coxim (MS). Ao todo estão cadastrados 599 ninhos, sendo 346 naturais e 253 artificiais.

A Dra. Neiva Guedes, bióloga responsável pelo Projeto Arara Azul, ainda faz questão de ressaltar. “Estamos muito felizes em fazer parte das conquistas obtidas através da conservação da arara azul no Pantanal, mas sabemos que os estudos não podem parar. Ao longo desses anos, conseguimos viabilizar esse trabalho com o patrocínio e apoio da Fundação Toyota do Brasil, da Toyota, da Universidade Anhanguera-Uniderp, do Refúgio Ecológico Caiman, Bradesco Capitalização e outros parceiros, mas é necessário que a sociedade continue se mobilizando para que o sucesso seja mantido e os trabalhos ampliados.

Tornando-se padrinho 

Durante o período reprodutivo da espécie, o padrinho acompanhará as novidades do ninho e outras informações relativas ao projeto, optando por batizar sua ave ao nascimento. Ele também receberá um kit de boas-vindas com foto exclusiva do ninho e sua divulgação no marketing da Campanha.

“Ao iniciar o processo de adoção, os padrinhos passam por um curso preparatório, no qual aprendem sobre o monitoramento dos ninhos naturais e artificiais e sobre o relatório periódico do comportamento e desenvolvimento dos filhotes afilhados”, complementa a diretora executiva do Instituto Arara Azul, Eliza Mense.

Dando suporte às pesquisas do Projeto Arara Azul desde 1994, a Uniderp reforça seu apoio na preservação dessa espécie com a confirmação em mais uma edição da Campanha Adote um Ninho. “Ficamos muito felizes ao saber do nascimento de um filhote no ninho adotado no ano passado. Como universidade sul-mato-grossense temos a missão de promover o desenvolvimento sustentável da nossa região”, afirma a Pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação da Uniderp, Luciana Paes de Andrade.

Quero ajudar  

A Campanha Adote um Ninho também está na internet. O Instituto Arara Azul apresenta sua ação na plataforma Kickante, a mais utilizada pelas ONGs do Brasil para arrecadação de fundos. No link http://www.kickante.com.br/campanhas/instituto-arara-azul-conserve-biodiversidade-do-pantanal é possível conferir várias categorias de contribuição para a preservação da espécie. Veja quais são:

·         Admirador: destinando R$ 15,00, o doador receberá um certificado digital.

·         Ajudante: colaborando com R$ 40,00 as recompensas são o certificado digital e um chaveiro do Instituto Arara Azul.

·         Amigo: contribuindo com R$ 70,00 é possível obter o certificado digital juntamente com uma ecobag artesanal.

·         Protetor: doando R$ 100,00, o benfeitor ganha certificado digital e camiseta do Instituto Arara Azul.

·         Defensor: destinando R$ 150,00, as recompensas são o certificado digital, chaveiro artesanal de couro do Instituto Arara Azul e porta cartão de couro do Pantanal.

·         Guardião: contribuindo com R$ 500,00, o doador recebe certificado digital, chaveiro artesanal de couro do Instituto Arara Azul, porta cartão de couro do Pantanal e camiseta do Instituto Arara Azul.

·         Tutor: colaborando com R$ 1000,00, o benfeitor leva certificado digital, chaveiro artesanal de couro do Instituto Arara Azul, porta cartão de couro do Pantanal, camiseta do Instituto Arara Azul e o livro “Joias Azuis no céu do Pantanal”.

·         Padrinho: doando R$ 10.000, você estará adotando um ninho.

Mais detalhes sobre todas as modalidades de subsídio ao trabalho desenvolvido pelo projeto Arara Azul podem ser obtidos pelo email [email protected]. Outras informações pelo sitewww.projetoararaazul.com.br. 

Comentários

comentários