Além de instalações “vazando”, neozelandês sequestrado já marca Olimpíadas

Olimpiadas-2016-BrasilO primeiro dia de abertura do Rio de Janeiro para as Olimpíadas, neste domingo (24), já gerou diversas vergonhas para o Brasil. O primeiro caso foi das instalações dos atletas sem condição real de uso e delegações, como da Austrália, se recusando totalmente a entrar nos apartamentos da Vila Olímpica. Após, um lutador de jiu-jitsu da Nova Zelândia, Jason Lee, denunciou também ontem, ter sido sequestrado por homens com uniformes de policiais na capital carioca.

O atleta neozelandês disse, em seu perfil na rede social Facebook, que foi abordado no sábado (23) por homens uniformizados e ameaçado de prisão, caso não entrasse no carro deles. Os homens então exigiram que Jason os levasse até caixas eletrônicos para retirar uma “grande soma de dinheiro para suborno”. Lee também escreveu em seu perfil que ao prestar depoimento na delegacia ocultou detalhes importantes, como o número da placa do carro dos supostos policiais, por medo de represálias.

Jason foi enfático ao avaliar tanto o fato e negativa experiência com ele, quanto a situação que ele já detectou na vida dos brasileiros. Segundo ele, a ocorrência foi até perto, mas fora da cidade do Rio de Janeiro, quando ele voltava de uma competição em Resende, na região sul fluminense. “Não sei o que é mais deprimente: o fato de essas coisas estarem acontecendo com estrangeiros tão perto dos Jogos Olímpicos ou o fato de os brasileiros terem de viver em uma sociedade que permite essa situação diariamente”, escreveu Lee.

De acordo com o jornal neozelandês NZ Herald, Lee está há dez meses no Brasil para aprimorar suas técnicas de jiu-jitsu, já que o país é referência no esporte. Em comentários anteriores, Lee já havia criticado a falta de segurança no Rio de Janeiro, em situações como sacar dinheiro de um caixa eletrônicos.

A reportagem entrou em contato com as polícias Civil e Militar e aguarda resposta. (com Agência Brasil)

Comentários

comentários