Inquérito conclui que tiro que matou jovem em Ivinhema não foi acidental

A Polícia Civil concluiu o inquérito da morte da jovem Marielle Vieira, 18 anos, que foi morta com um tiro na cabeça no dia 20 de novembro, em Ivinhema, a 297 quilômetros de Campo Grande. O jovem Caio Staut, que foi preso logo após o crime, será indiciado por homicídio doloso qualificado, quando há intenção de matar.

Foto: Ivi Notícias
Foto: Ivi Notícias

De acordo com informações do site Ivi Notícias, durante 10 dias de investigações, a Polícia Civil concluiu no último domingo o inquérito sobre a morte da jovem. O autor do crime afirmou que o tiro foi acidental, porém o inquérito apontou que Caio teve a intenção de matar Marielle.

Acusado de homicídio continua preso. Foto: Divulgação
Acusado de homicídio continua preso. Foto: Divulgação

Durante as investigações, 19 pessoas foram ouvidas e diversos exames realizados, como o de residuográfico, que apontou que havia vestígios de pólvora na mão de Caio. A reconstituição do crime também foi realizada após a morte da jovem.

Caio mantém a tese de que o tiro foi acidental, mas permaneceu calado durante a reconstituição do crime e deixou de responder várias perguntas da polícia.

O jovem continua preso e responderá por homicídio doloso qualificado.

Kerolyn Araújo

Comentários

comentários